Espanha/Crise

Espanhóis manifestam contra plano de rigor nas ruas de Madri

"Возмущенные" испанцы на улицах Мадрида, 19/06/2011
"Возмущенные" испанцы на улицах Мадрида, 19/06/2011 Reuters

O domingo foi marcado por novas manifestações contra a crise econômica e o desemprego na Espanha. Milhares de pessoas saíram às ruam em Madri para contestar o pacto de estabilidade lançado no país. Segundo a imprensa local, mais de 35 mil espanhóis participaram do desfile, que terminou perto do parlamento, no centro da capital.

Publicidade

Aos gritos de “nós não pagaremos por esta crise”, milhares de pessoas desfilaram pelas ruas de Madri neste domingo. O cortejo percorreu a avenida de la Castellana, que atravessa a capital espanhola. Outras manifestações também estavam previstas em Barcelona e Valência.

O protesto foi lançado pelos “indignados”, movimento criado há cinco semanas, e que tomou conta do centro da capital espanhola durante vários dias. Uma semana após terem desmontado o acampamento, o grupo mobilizou novamente a população contra o plano de rigor imposto pelo governo para tentar tirar o país da crise.

Segundo o jornal espanhol El Mundo, que cita a polícia local, mais de 35 mil pessoas participaram da passeata deste domingo. Os slogans entoados pelos participantes convidavam a população a organizar uma greve geral para paralizar o país. “Nós não somos mercadorias nas mãos dos políticos e dos banqueiros”, podia-se ler nas faixas que abriam o desfile.

A manifestação teve clima festivo e sem violência, apesar do esquema de segurança montado pelas autoridades na capital. Este é o terceiro grande protesto organizado pelos “indignados”. Depois de uma primeira passeata dos “Jovens sem futuro”, e uma segunda do coletivo “Democracia Real Já!”, que reuniu 20 pessoas em Madri, desta vez os organizadores batizaram o evento de “Todos os indignados juntos”.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.