Grécia/Sindicatos

Sindicatos convocam nova greve geral na Grécia nesta terça

O Parlamento grego precisa votar um novo plano de austeridade nesta quarta-feira para obter uma nova ajuda financeira da União Europeia.
O Parlamento grego precisa votar um novo plano de austeridade nesta quarta-feira para obter uma nova ajuda financeira da União Europeia. REUTERS

A população grega vai novamente às ruas nesta terça e quarta-feira para protestar contra mais um pacote de medidas de contenção de gastos, que deve ser votado nesta quarta-feira. O plano, que começou a ser discutido no Parlamento nesta segunda-feira, prevê cortes de seis bilhões de euros nas despesas públicas.

Publicidade

Em protesto às medidas, os sindicatos convocaram a partir desta terça-feira uma nova greve geral de 48 horas, além de uma série de manifestações nas ruas de Atenas e outras cidades gregas. Os jovens, inspirados no movimento dos ‘Indignados‘ na Espanha, também vão participar das passeatas. Eles estão acampados desde o dia 25 de maio na praça Syntagma, na capital grega, em frente ao Parlamento. A circulação de trens e ônibus e o tráfego aereo também serão afetados. Dezenas de voos devem ser cancelados. Apenas o metrô deve funcionar normalmente.

As medidas propostas pelo primeiro-ministro Georges Papandréou prevêem novos cortes, aumento de impostos e novas privatizações. Em um discurso pouco antes do início das discussões, ele disse que o voto era uma "ocasião única para que o país continuasse de pé." Ele também fez um apelo para que todos os partidos deixassem as divergências de lado e apoiassem o plano para evitar a falência do estado grego. A aprovação do pacote é uma condição imposta pela União Europeia para o pagamento da quinta parcela do plano de ajuda à economia grega, aprovado no ano passado pelo bloco.

Os parlamentares gregos iniciaram nesta segunda-feira o debate do novo plano de austeridade para reequilibrar as finanças do país, cuja dívida pública está calculada em 350 bilhões de euros. A Grécia também registra um déficit público de 12,9%, apesar do apoio financeiro dos europeus. Se o pacote for aprovado, os ministros das finanças devem se reunir neste domingo em Bruxelas, para discutir um novo plano de ajuda para o país. Caso contrário, os europeus poderão suspender a parcela de 12 bilhões de euros de empréstimos emergenciais. O governo corre contra o relógio. Se a parcela, que deve ser paga até o dia 3 de julho não for liberada a tempo pelos europeus, os gregos podem decretar moratória, com consequências drásticas para a economia do bloco.

Plano de emergência

Segundo informações da agência de notícias France Presse, para evitar uma nova crise, os países da zona euro estão preparando um plano de emergência caso o Parlamento rejeite o pacote de austeridade do governo grego, mesmo que essa hipótese tenha sido refutada pela Comissão Europeia. Ele difere da proposta francesa que visa criar uma contribuição do setor privado a um novo programa de apoio à economia grega, que também começou a ser discutido nesta segunda-feira.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.