Grécia/crise

Parlamento Grego aprova aplicação de plano de austeridade

O Parlamento grego votou novamente nesta quinta-feira (30) a favor do plano de austeridade.
O Parlamento grego votou novamente nesta quinta-feira (30) a favor do plano de austeridade. Reuters

O parlamento da Grécia aprovou por 155 votos a favor e 136 contra a segunda parte do plano de austeridade exigido pela União Européia e pelo FMI para ajudar o país a escapar da falência. O voto hoje garantiu a aplicação das modalidades do plano que já havia recebido o sinal verde dos parlamentares no dia anterior. A Comissão Européia anunciou que agora todas as condições estão reunidas para a Grécia receber nova parcela do empréstimo para honrar seus compromissos financeiros do governo no mês de julho.

Publicidade

O governo do primeiro-ministro socialista George Papandreou já havia garantido sua primeira vitória ontem ao conquistar o apoio,  do mesmo número de deputados, para a adoção do plano de austeridade que deverá representar ao estado uma economia de 28 bilhões de euros durante um período de 5 anos .

O plano prevê uma alta de impostos, redução dos gastos públicos e uma nova onda de privatizações que devem contribuem para arrecadar outros 50 bilhões de euros para os cofres públicos.

Nesta quinta-feira o parlamento adotou o documento que define a aplicação das medidas que foram necessárias para o país poder receber mais uma parcela do empréstimo de 110 bilhões de euros já negociado com os vizinhos do bloco e o Fundo Monetário Internacional.

"As condições estão reunidas para a liberação de nova parcela da ajuda financeira à Grécia e para que possam haver progressos rápidos para um segundo plano de ajuda”, reagiram os presidentes da União Européia, Herman Van Rompuy, e da Comissão Européia, José Manuel Barroso, em um comunicado comum publicado após a decisão do parlamento grego.

Os 12 bilhões de euros da nova parcela do empréstimo à Grécia deverão ajudar o governo a pagar os compromissos de suas dívidas no mês de julho. Na semana passada o governo grego pediu também um segundo plano de ajuda financeira.

O voto desta quinta-feira do parlamento foi “um segundo passo, decisivo, que a Grécia deveria fazer para trazer (suas finanças públicas) de volta ao caminho da sustentabilidade”, disseram Van Rompuy e Barroso no comunicado.

“Em circunstâncias muito difíceis, foi um ato de responsabilidade nacional”, afirmaram os dois líderes europeus, em alusão aos dois dias de greve geral que paralisaram parcialmente a Grécia e aos conflitos violentos nas ruas de Atenas que opuseram as forças de ordem aos opositores do plano de austeridade.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.