Acessar o conteúdo principal
Noruega/massacre

Norueguês volta à ilha para reconstituição do massacre

Anders Behring Breivik foi levado pela polícia à ilha para explicar como executou o massacre de 69 pessoas.
Anders Behring Breivik foi levado pela polícia à ilha para explicar como executou o massacre de 69 pessoas. REUTERS/Jon-Are Berg-Jacobsen
2 min

A polícia da Noruega realizou neste sábado a primeira reconstituição do massacre da ilha de Utoeya com a presença do autor dos crimes, Anders Behring Breivik, que voltou pela primeira vez ao local onde matou 69 pessoas, no dia 22 de julho. Em comunicado, a polícia apenas informou que Breivik foi interrogado na ilha que é localizada nas proximidades da capital, Oslo.

Publicidade

Segundo a imprensa local, ele chegou ao local por volta das 14hs (pelo horário local) e foi vigiado o tempo todo até por helicópteros que sobrevoavam a ilha durante todo o trabalho de reconstituição.

Fotos foram publicadas pelos jornais noruegueses e uma delas, do jornal Verdens Gang (VG), mostra Anders, de 32 anos, autor confesso dos crimes, em posição de tiro, como se visasse uma pessoa fugindo a nado da ilha.

O jornal afirma que Breivik foi escortado por policiais armados e protegidos por coletes à prova de bala. Vestido com uma blusa vermelha, com uma corda na cintura e usando algemas nos tornozelos, ele percorreu vários locais da ilha para explicar aos policiais como executou toda a ação.

Segundo seu advogado, Anders Breivik se lembra exatamente de cada tiro disparado durante o massacre.

A reconstituição, segundo a imprensa norueguesa, durou 8 horas e foi integralmente filmada, assim como o interrogatório, para ser usada como prova no julgamento.

Durante o ataque, jovens do partido trabalhista realizavam um encontro. Desde o dia 22 de julho a ilha Utoeya está fechada ao público. No mesmo dia, a explosão de um carro bomba no centro de Oslo deixou 8 mortos
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.