Acessar o conteúdo principal
Naufrágio/Itália

Ministro italiano destaca "alto risco" ambiental para região do naufrágio

O navio Costa Concordia pode afundar completamente a qualquer momento, na costa oeste da Itália.
O navio Costa Concordia pode afundar completamente a qualquer momento, na costa oeste da Itália. REUTERS/ Max Rossi
Texto por: RFI
3 min

O naufrágio do navio de cruzeiro Costa Concórdia acarreta um risco ambiental “muito alto” para a ilha de Giglio e uma intervenção é “urgente”, afirmou nesta manhã o ministro do Meio Ambiente da Itália, Corrado Clini. “O objetivo é evitar que o combustível vaze do navio. Nós estamos trabalhando nisso”, afirmou.

Publicidade

“O risco para o meio ambiente é muito alto. A intervenção é urgente”, comentou a jornalistas. O naufrágio já deixou seis mortos e 14 vítimas permanecem desaparecidas. A ilha de Giglio se encontra em um arquipélago de sete ilhas, incluindo a de Elba, e se situa em uma região paradisíaca da Toscana, que atrai milhares de turistas no verão. O ministro ressaltou que os efeitos de um eventual vazamento de combustível “vão depender das correntes marítimas”, e que a fauna e a flora do local podem estar a perigo.

O navio está com os reservatórios de combustível cheios de 2.390 toneladas de diesel, mas por enquanto não foi detectado qualquer derramamento. Ao jornal La Stampa, Clini já havia dito que “trata-se de um diesel denso, pesado, que poderia se sedimentar no fundo do mar", e que “isso seria um desastre”.

O ministro declarou que o governo está pronto para agir caso o combustível do navio comece a vazar, mas por enquanto a prioridade continua sendo a busca de sobreviventes da tragédia. “Assim que for possível, esse combustível será retirado do navio. O problema é que temos que considerar o equilíbrio precário do casco.” Clini também ressaltou que, logo após, será preciso retirar a embarcação do local, já que está bloqueando o acesso ao porto da região.

Nesta manhã, os efeitos financeiros da tragédia, ocorrida na sexta-feira, já foram sentidos: as ações da americana Carnival, proprietária da Costa Concórdia, despencaram 17,48% na bolsa de Londres. O grupo estima em entre 85 e 95 milhões de dólares de impacto econômico imediato pelo acidente. “A companhia espera ainda outros prejuízos que não consegue medir neste momento”, afirma um comunicado da Carnival.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.