Acessar o conteúdo principal
União Europeia/Nobel

UE recebe Nobel da Paz em meio a protestos em Oslo

Ativistas protestam em frente à sede do Instituto Nobel, em Oslo, onde autoridades europeias receberão nesta segunda-feira o Prêmio Nobel da Paz 2012.
Ativistas protestam em frente à sede do Instituto Nobel, em Oslo, onde autoridades europeias receberão nesta segunda-feira o Prêmio Nobel da Paz 2012. REUTERS
Texto por: RFI
2 min

Na véspera de receber o prêmio Nobel da Paz em nome da União Europeia, nesta segunda-feira, em Oslo, o presidente do bloco, Herman Van Rompuy, disse que a Europa sairá reforçada da crise atual e vai se tornar um símbolo de esperança para o mundo. Nesse domingo, Rompuy enfrentou manifestações de protesto de grupos de esquerda e de direitos humanos que desaprovam a escolha do Instituto Nobel.

Publicidade

Cerca de mil membros de grupos de esquerda e de direitos humanos fizeram uma manifestação neste domingo na capital norueguesa para protestar contra a atribuição do Prêmio Nobel da Paz 2012 à União Europeia. Os manifestantes carregavam tochas e justificaram o descontentamento alegando que a UE é antidemocrática e mantém um grande efetivo militar, mesmo enquanto os europeus sofrem com a crise econômica atual.

"Alfred Nobel disse que o prêmio deveria ser dado àqueles que trabalhassem pelo desarmamento", disse Elsa-Britt Enger, de 70 anos, uma representante do grupo Avós pela Paz. "A União Europeia não faz isso e é uma das maiores produtoras de armas do mundo", argumentou a manifestante. O Partido da Esquerda Socialista norueguês, que integra o governo do primeiro-ministro Jens Stoltenberg, se juntou aos manifestantes.

Outros vencedores do Nobel da Paz, como Desmond Tutu, Adolfo Perez Esquivel e Mairead Maguire, também criticaram a escolha, dizendo que o bloco não merece o prêmio.

O comitê do Nobel da Paz, baseado em Oslo, deu o prêmio de 2012 para a União Europeia por unir o continente depois de duas guerras mundiais e para dar um impulso ao bloco nesse grave momento de desaceleração econômica, a pior crise em meio século.

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso disse que o bloco representa a paz duradoura entre ex-inimigos que se enfrentaram em duas guerras mundiais. Barroso, Van Rompuy e o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schultz, vão receber o prêmio em nome da UE nessa segunda-feira.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.