Acessar o conteúdo principal
Crise

Desemprego atinge novo recorde histórico na Espanha

Fila de desempregados em frente de uma agência de empregos em Madri, 25 de abril de 2013.
Fila de desempregados em frente de uma agência de empregos em Madri, 25 de abril de 2013. REUTERS/Sergio Perez
Texto por: RFI
3 min

O desemprego na Espanha voltou a crescer no primeiro trimestre de 2013, atingindo um novo recorde histórico de 27,16%. Mais de 57% dos seis milhões de desempregados no país são jovens entre 16 e 24 anos. De acordo com os números divulgados nesta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística, no final de março, o país - que segue em recessão apesar de encampar um plano de rigor fiscal sem precedentes - contava 6.202.700 desempregados, 237.400 a mais do que no trimestre anterior.

Publicidade

A situação afeta todas as faixas etárias, mas é maior entre os 25 e 29 anos, em todas as regiões do país. Também aumentou o número de famílias em que ninguém trabalha: isso acontece em quase 2 dos 17 milhões de lares espanhois. Por regiões, a mais afetada pelo desemprego é a Andaluzia, com taxa de 36,87%; a situação menos calamitosa é do País Basco (16,28% da população ativa).

Entre todos os países da União Europeia, a Grécia, com 27,2% da população sem trabalho, é a única que enfrenta situação pior do que a espanhola. Os números divulgados nesta quinta-feira contrariam as garantias dadas pelo chefe do governo conservador Mariano Rajoy de que o aumento do desemprego no primeiro trimestre de 2013 seria o "menor dos últimos anos".

No entanto, ele advertiu que a situação no conjunto do ano "não será boa". Como consolo, disse que será "menos má do que nos anos anteriores". Em 2012, o PIB espanhol recuou 1,37%. Nesta semana, o governo revisou sua projeção inicial de contração para 2013 de 0,5% para algo entre 1% e 1,5%.

Revolta
Enquanto boa parte da população tem saído às ruas com frequência para protestar contra o governo e as medidas de austeridade impostas pela União Europeia, alguns grupos partem para o enfrentamento direto. Na manhã desta quinta-feira, quatro "membros de grupos anarquistas" foram presos enquanto se preparavam para incendiar um banco em Madri. Com eles, foram apreendidos oito fogos de artifícios, quatro bombas e dois galões de gasolina.

De acordo com o Ministério do Interior, eles foram presos por grupos policiais destacados para a capital para garantir a segurança durante uma manifestação convocada pelas redes sociais para acontecer ainda nesta tarde. A palavra de ordem dos manifestantes é "Ocupar o Congresso". Em nota, o Ministério disse que o incidente se enquadra em "uma série de atos de delinquência" que precede a Manifestação.

Nas redes sociais, o movimento pede "a derrubada do regime (demissão do governo, dissolução do Parlamento e das altas instituições do Estado) e a abertura de um processo de transição para um novo modelo de organização política, econômica e social, verdadeiramente justo e solidário".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.