Itália/Governo

Itália criará bracelete eletrônico para diminuir violência contra a mulher

A ministra da Justiça italiana Anna Maria Cacellieri propõe un bracelete para prevenir a violência sexual.
A ministra da Justiça italiana Anna Maria Cacellieri propõe un bracelete para prevenir a violência sexual. Wikipedia

A ministra italiana da Justiça, Anna Maria Cancelllieri, propôs nesta sexta-feira (10) a criação de um bracelete eletrônico para impedir acusados de assédio sexual de se aproximarem de suas vítimas, uma medida que já foi implantada em diversos países europeus.

Publicidade

O número de casos de violência doméstica vêm aumentando na Itália. Em 2012, 124 mulheres foram assassinadas no país, sendo que 60% delas tinha uma relação com seu agressor. Em 25% dos casos, as vítimas tentaram romper o relacionamento, e 63% dos homicídios aconteceram dentro de casa.

“Nosso trabalho agora é evitar que pessoas que já tem um histórico voltem a ter um comportamento agressivo. O bracelete pode ser uma solução eficaz”, explicou a ministra Cancellieri ao jornal Corrière della Sera.

Para evitar novos assassinatos, o governo prevê a implantação de outras medidas, que possibilitará a prisão do agressor mesmo que a vítima decida denunciá-lo meses depois. A polícia também poderá iniciar uma investigação a partir de uma simples denúncia dos pais da vítima.

Os ministros também pretendem reabrir os centros contra a violência conjugal, que foram fechados por razões financeiras. Para o Ministério do Interior, é inadmissível que um governo que busca defender as mulheres tenha que limitar suas ações por razões econômicas.

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.