Acessar o conteúdo principal
Espanha/Trem

Conteúdo da caixa-preta de trem espanhol começa a ser divulgado

As primeiras gravações das caixas-pretas do trem espanhol confirmam que o maquinista foi avisado sobre o excesso de velocidade.
As primeiras gravações das caixas-pretas do trem espanhol confirmam que o maquinista foi avisado sobre o excesso de velocidade. REUTERS/Miguel Vidal
Texto por: RFI
3 min

O conteúdo das caixas-pretas do trem que descarrilou na quarta-feira em Santiago de Compostela começou a ser divulgado. O equipamento confirma que o acidente foi provocado pela alta velocidade e levanta questões sobre o funcionamento do sistema de freios usado pelas ferrovias do país. A imprensa espanhola confirma que o maquinista foi informado que estava conduzindo rápido demais.

Publicidade

De acordo com o jornal El País, o condutor Francisco José Garzon Amo foi alertado que havia atingido a velocidade de 190km/h, quando não deveria ultrapassar 80km/h naquele trecho da via. O maquinista teria apertado o botão que confirma o recebimento dessa mensagem de alerta.

Segundo as gravações realizadas pela caixa-preta pouco antes do acidente, Garzon Amo teria perdido o controle da situação. “Eu vou rápido demais, eu vou rápido demais, o que eu posso fazer?”, disse ele antes do descarrilamento. O condutor será interrogado nessa sexta-feira por policiais no hospital, onde está internado sob vigilância, desde que teve a prisão preventiva decretada na véspera.

As investigações apostam na hipótese de uma possível falha no sistema de freios da ferrovia, já que 4 km antes da chegada em Santiago de Compostela a linha de alta velocidade se torna convencional (mais lenta) e os trens devem frear. No entanto, o trem Talgo Alvia era um modelo híbrido, capaz de circular em duas velocidades, e não teria freado após a mudança dos trilhos perto da curva onde ocorreu o acidente.

Balanço de mortos revisado

A polícia espanhola reduziu de 80 para 78 o número de vítimas fatais na catástrofe. Faltam identificar apenas 6 corpos que requerem exames complementares de DNA. Segundo as autoridades espanholas, 32 pessoas continuam hospitalizadas em estado crítico. De acordo com o Itamaraty nenhum brasileiro estaria entre as vítimas.

A Espanha vive três dias de luto nacional pela tragédia. Apesar do grande número de feridos, a solidariedade dos espanhóis foi tamanha nas primeiras horas após o acidente que as autoridades sanitárias suspenderam as doações de sangue.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.