União Europeia/ebola

União Europeia decide rever monitoramento de passageiros de países afetados pelo ebola

Ministros da Saúde se reúnem para coordenar luta contra epidemia de ebola
Ministros da Saúde se reúnem para coordenar luta contra epidemia de ebola EMMANUEL DUNAND / AFP

A União Europeia decidiu verificar a eficácia do controle anti-ebola nos aeroportos dos três países africanos mais afetados pela epidemia: Libéria, Guiné e Sierra Leoa. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (16) pelo comissário europeu para a Saúde, Tonio Borg, logo após a reunião dos ministros da Saúde do bloco.

Publicidade

Letícia Fonseca, correspondente da RFI em Bruxelas

Esta verificação deverá ser realizada imediatamente e terá a participação da Organização Mundial da Saúde. Caso necessário, os controles nos aeroportos africanos serão reforçados. A medida deve permitir um rastreamento mais eficaz na UE de possíveis portadores de ebola.

Em Bruxelas, os ministros concordaram em reforçar as informações para os passageiros e equipes médicas sobre como agir caso haja suspeitas de contaminação. A ministra da Saúde da Itália, Beatrice Lorenzin, cujo país ocupa a presidência rotativa do bloco, assegurou aos cidadãos europeus “que não há risco real de contaminação do vírus ebola”.

Porém, esta semana, a Grã-Bretanha anunciou que vai começar a realizar a triagem de passageiros que entram no país pelos dois principais aeroportos de Londres e a ligação ferroviária com outros países europeus para verificar possíveis casos de ebola. E a França, a partir de sábado, começa a implementar as medidas de controle sanitário no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris.

A ACI Europa, associação que reúne os principais aeroportos da UE, pediu aos governos europeus que adotem uma resposta "coordenada" em relação aos controles sanitários contra o ebola, evitando assim "medidas ineficazes" ou unilaterais.

A reunião em Bruxelas foi antecedida pela reunião do Comitê de Segurança Sanitária da Europa e aconteceu um dia depois do presidente americano Barack Obama ter pedido aos líderes europeus um esforço maior na luta contra a epidemia. Na vídeoconferência da última quarta-feira com os líderes da Grã-Bretanha, França, Alemanha e Itália, Obama ressaltou a necessidade de uma ação mais abrangente da comunidade internacional.

Segundo o último balanço da Organização Mundial da Saúde, o surto epidêmico de ebola surgido na África Ocidental no final do ano passado já matou mais de 4 mil pessoas.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe todas as notícias internacionais baixando o aplicativo da RFI