Acessar o conteúdo principal
Ucrânia/Crise

Hollande e Putin discutem crise ucraniana em Moscou

François Hollande e Vladimir Putin se encontram neste sábado (6) no aeroporto de Moscou.
François Hollande e Vladimir Putin se encontram neste sábado (6) no aeroporto de Moscou. AFP/Alain Jocard
Texto por: RFI
3 min

O presidente francês François Hollande fez neste sábado (6) uma visita inesperada à Rússia. Ele encontrou no aeroporto de Moscou o presidente russo Vladimir Putin para uma conversa sobre a crise ucraniana. Esta é a primeira visita de um chefe de Estado ocidental ao país desde o início da revolta separatista no leste da Ucrânia. Ela coincide com o anúncio de novas negociações de paz entre Kiev e os rebeldes pró-russos.

Publicidade

O presidente francês, que retorna de uma viagem oficial ao Cazaquistão, fez uma escala imprevista em Moscou. A visita foi proposta na noite de sexta-feira pela autoridades francesas ao Kremlin. François Hollande e Vladimir Putin se encontraram no aeroporto da capital russa.

No início do encontro, o presidente francês declarou à imprensa que “é necessário evitar que outros muros venham nos separar”, numa referência ao Muro de Berlin que durante mais de duas décadas dividiu a Europa. Hollande disse também que “é preciso aproveitar alguns momentos para superar obstáculos e encontrar soluções”.

Putin afirmou esperar que a visita relâmpago contribua para resolver várias questões que estão em suspenso. “Problemas difíceis” avalia o presidente russo que, no entanto, acredita que “as discussões com François Hollande terão resultados positivos e avanços”. A entrega por Paris dos navios de guerra Mistral à Rússia é um dos pontos delicados da conversa. A França vendeu os porta-helicópteros a Moscou, mas ameaça não entregá-los se não houver uma solução no conflito ucraniano.

Rússia isolada

O encontro entre os dois chefes de Estado acontece em um momento em que a Rússia está isolada no cenário internacional e François Hollande é o primeiro presidente europeu a visitar o país desde o início da crise ucraniana. O Kremlin é acusado pelos líderes ocidentais de ingerência no conflito no leste da Ucrânia que já deixou mais de 4.300 mortos em oito meses.

Em seu discurso anual à Nação, na quinta-feira (4), Vladimir Putin acusou os ocidentais, os “inimigos do passado”, de serem os responsáveis pela maioria das dificuldades que atravessa o país. Segundo o presidente russo, europeus e americanos querem provocar na Rússia a mesmo “cenário que na Iugoslávia”, nos anos 1990.

Nova rodada de negociações

O presidente da Ucrânia, Petro Porochenko, anunciou neste sábado (6) a realização de uma nova rodada de negociações de paz. As discussões acontecem na próxima terça-feira (9), em Minsk.

A última reunião, no início de setembro, contou com a participação de autoridades de Kiev, líderes separatistas e representantes russos e da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE). O cessar-fogo, assinado nesse encontro, foi sistematicamente desrespeitado até se tornar ineficaz.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.