Espanha/ turismo

Pamplona dá início à Festa de São Firmino

Foliões com lenços vermelhos e bandeiras bascas, no início da Festa de San Fermin, em Pamplona.
Foliões com lenços vermelhos e bandeiras bascas, no início da Festa de San Fermin, em Pamplona. REUTERS/Susana

Uma maré humana tomou conta do centro de Pamplona nesta segunda-feira (6), para a cerimônia de abertura da festa de São Firmino, que dura nove dias. A principal atração são as corridas de touros pelas ruas da cidade – uma prática que gera cada vez mais controvérsias.

Publicidade

A festa remonta ao período medieval e combina procissões religiosas, danças tradicionais, shows e consumo de muito álcool. No ano passado, o evento atraiu 3 milhão de visitantes, a maioria estrangeiros.

O ápice é quando touros são soltos para correr atrás das pessoas, que tentam escapar pelas ruas estreitas da cidade. Os animais são conduzidos até as arenas, onde são mortos ao fim do dia.

A multidão usa a típica vestimenta branca combinada com lenços vermelhos e segue a tradição de beber vinho em suas botas de couro. Pamplona se encontra ao norte da região vinícola de La Rioja - por isso, o vinho tem um papel importante nas celebrações de São Firmino, o primeiro bispo da cidade e santo padroeiro.

Protesto contra touradas

Nos últimos anos, entretanto, a festa não tem mais o aval de todos. No sábado (4), uma centena de membros de associações de defesa dos animais protestou contra as touradas de São Firmino. Os manifestantes estavam nus e cobertos de tinta vermelha, imitando sangue.

Em um comunicado, as associações informam que "descargas elétricas e varas afiadas são usadas nos animais antes das touradas, para atormentá-los". As organizações querem chamar a atenção para o fato de que "dezenas de touros sofrem lesões enquanto os participantes os perseguem, se batem e ficam aterrorizados, a caminho de sua eventual morte na arena de touros da cidade".

A organização Peta pede à Espanha que acabe com essa tradição. O país tem outras práticas taurinas controversas, como colocar produtos inflamáveis nos chifres dos touros, fazendo com que os animais se queimem tentando retirar as bolas de fogo.

Desde 1911, 15 pessoas morreram na Espanha ao serem atacadas por touros durante festas como a de Pamplona, no norte do país. A última morte ocorreu em 2009.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.