Londres/Greve

Greve paralisa metrô de Londres e provoca caos na cidade

Greve do metrô de Londres provoca longas filas nos pontos de ônibus nesta quinta-feira (9).
Greve do metrô de Londres provoca longas filas nos pontos de ônibus nesta quinta-feira (9). REUTERS/Paul Hackett

Pela primeira vez desde 2002, o metrô de Londres está completamente parado nesta quinta-feira (9). A greve começou ontem (8) às 18 horas e deve durar 24 horas. A paralisação provoca congestionamentos, filas enormes nos pontos de ônibus, ciclovias e calçadas lotadas na capital britânica.

Publicidade

A previsão da rede de transporte Transport for London (TFL) é que nenhum metrô circule hoje, durante todo o dia e à noite. O serviço só dever ser completamente restabelecido amanhã (10).

Cerca de 200 ônibus foram adicionados à frota convencial e as autoridades sugerem que os londrinos utilizem bicicletas para se locomover. As medidas não impediram os congestinamentos, ônibus lotados e filas intermináveis.

Os londrinos usaram as redes sociais para reclamar e até brincar com a situação. Um motorista, preso no engarrafamento, postou um tuíte informando que esperava chegar ao destino "antes do natal". Uma mulher, que resolveu aproveitar a manhã ensolarada para ir a pé ao trabalho, usou o hashtag "saúde" para dizer que deveria caminhar os 4,8 km todos os dias.

Reivindicações

Os mais de 20 mil metroviários cruzaram os braços por melhores salários. Quatro sindicatos reivindicam um aumento de 2% devido a um novo serviço noturno nos fins de semana, em vigor desde setembro do ano passado.

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, declarou que a paralisação é "inaceitável e injustificável". Já o prefeito de Londres, Boris Johnson, fez um apelo para que os sindicatos finalizem a greve o mais rápido possível.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.