França/Rússia

França e Rússia chegam a acordo sobre cancelamento da venda dos navios Mistral

Navio de guerra francês Mistral
Navio de guerra francês Mistral Défense française

O presidente francês, François Hollande, e o presidente russo, Vladimir Putin, anunciaram na quarta-feira (5) que chegaram a um acordo sobre o cancelamento do contrato dos navios Mistral. Assinado em 2011, durante o governo do ex-presidente Nicolas Sarkozy, o acordo previa a venda de duas embarcações de guerra francesas à Moscou, pelo montante de € 1,2 bilhão.

Publicidade

No entanto, os navios nunca foram entregues pelo governo francês, em represália à intervenção militar russa na Ucrânia. A proposta de reembolso oferecida pela França estava sob impasse há meses.

A Rússia se negava a aceitar o cancelamento do acordo, alegando que o governo francês havia causado um prejuízo de mais de € 1 bilhão aos cofres de Moscou. Mas, de acordo com o comunicado, as negociações foram realizadas em clima amistoso entre Hollande e Putin.

Novo comprador

O ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian, afirmou em entrevista nesta quinta-feira que a França vai procurar um novo comprador para os navios.

"Vários países já demonstraram interesse em adquirir as embarcações. Desejamos vendê-las o mais rápido possível. Não podíamos fazê-lo até que cancelássemos o contrato com a Rússia", disse.

Ele afirmou que a França reembolsará todos os pagamentos realizados até agora pela Rússia. "O valor exato será comunicado ao parlamento porque haverá uma lei de ratificação."

Antes da sanção, o primeiro navio estava previsto para ser entregue em novembro passado, e o segundo, no outono francês deste ano.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.