Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Filme de Anna Muylaert é destaque no Festival de Berlim

Áudio 04:29
O Festival de Cinema de Berlim de 2016 conta com forte presença de filmes brasileiros.
O Festival de Cinema de Berlim de 2016 conta com forte presença de filmes brasileiros. REUTERS/Fabrizio Bensch
8 min

Começa nesta quinta-feira (11) e termina no próximo dia 21 o Festival de Berlim, um dos mais importantes do cinema mundial. O filme de estreia é a comédia “Ave, César!”, dirigida pelos irmãos Coen. O elenco é repleto de celebridades, como George Clooney, Tilda Swinton e Scarlett Johanson. Mas o enfoque de Berlim em 2016 é mais sério: desta vez, o evento contará com diversos filmes de temática política. O Brasil está presente no festival, mas não na competição oficial.

Publicidade

Bruno Ghetti, correspondente da RFI em Berlim

Berlim vai contar pela segunda vez consecutiva com um filme de Anna Muylaert, “Mãe Só Há Uma”. No ano passado, a cineasta fez sucesso com “Que Horas Ela Volta?”, estrelado por Regina Casé, que ganhou um prêmio do público. O novo filme de Muylaert traz Matheus Nachtergaele no elenco e, segundo a diretora, não deverá fazer tanto sucesso com o público por ser um projeto de perfil mais “independente”. A trama mostra um rapaz que desocobre que a mulher que sempre o criou não é sua mãe biológica. Outros cinco filmes serão exibidos. Entre eles, o longa “Antes o Tempo Não Acabava”, de Sergio Andrade e Fabio Baldo, sobre um indígena que vai para a cidade grande, também na mostra Panorama.

Política será o grande foco do Festival

O curador Dieter Kosslick escolheu várias atividades paralelas no intuito de promover a integração de refugiados na Europa com a população local berlinense. Mas o viés político também é perceptível na escolha dos longas de perfil engajado na seção competitiva. Um deles é o documentário “Fuocoammare”, de Gianfranco Rosi, sobre a ilha de Lampedusa, que é um dos principais pontos de chegada de imigrantes africanos que tentam viver na Europa.

Outro filme “Death in Sarajevo”, do bósnio Danis Tanovic, fala sobre a vida na Europa atual a partir da memória dos cem anos do início da Primeira Guerra Mundial. Fora da competição, o grande destaque é “Chi-Raq”, de Spike Lee, uma adaptação de uma comédia clássica de Aristófanes, sobre mulheres que fazem greve de sexo para seus homens parem de fazer guerra. O filme se passa na Chicago de hoje em dia, com a trama transposta para gangues de rua rivais. Samuel L. Jackson, Jennifer Hudson e Angela Basset estão no elenco.

Estrelas invadem tapete vermelho

Além de Meryl Streep, que é a presidente do júri este ano, vários outros astros estarão presentes, como Julianne Moore, Isabelle Huppert, Kirsten Dunst, Gerard Dépardieu e George Clooney, que, aliás, vai promover o novo filme dos irmãos Coen, “Ave, César!”. O filme  vai abrir daqui a pouco o festival e é uma comédia que se passa na Hollywood da década de 50, mostrando os bastidores da indústria cinematográfica. Além de Clooney, o super elenco conta com Scarlett Johansson, Tilda Swinton, Frances McDormand, Ralph Fiennes e Channing Tatum.

Filme com oito horas de duração

Uma das curiosidades do Festival é um filme das das Filipinas, chamado “Lullaby of the Sorrowful Mystery”, dirigido pelo cineasta Lav Diaz. Ele já é conhecido por filmes longos, geralmente com mais de três horas de duração, mas desta vez ele se superou: o filme dura oito horas. Vai ser exibido em duas partes, de quatro horas cada, fazendo mesmo jus ao termo “longa-metragem”.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.