Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Cúpula discute futuro do Reino Unido na UE

Áudio 04:31
O premiê David Cameron impõe várias condições para o Reino Unido continuar na Europa
O premiê David Cameron impõe várias condições para o Reino Unido continuar na Europa (Foto: Reuters)

Os líderes europeus e o primeiro-ministro britânico David Cameron se reúnem nesta quinta (18) e sexta-feira (19) em Bruxelas para definir o futuro do Reino Unido dentro da UE. A crise dos refugiados e as exigências feitas à Grécia para conter o fluxo dos imigrantes são outros dois destaques da reunião.

Publicidade

Letícia Fonseca, correspondente da RFI em Bruxelas

Os dirigentes europeus terão até sexta-feira, dia 19, para fechar um acordo que evite a saída do Reino Unido e mantenha a unidade da União Europeia. Às vésperas do encontro, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou que "existem divergências sobre alguns pontos políticos" e admitiu ser difícil superá-las.

Em uma carta enviada aos líderes, Tusk advertiu que “não há garantias de um acordo à vista” e pediu aos chefes de Estado e governo para se manterem “construtivos”. Na mesa de negociações há muitos pontos de atritos como a governança econômica e os freios nos benefícios sociais para os trabalhadores comunitários no Reino Unido que preocupam os países do Leste Europeu. Os britânicos deverão decidir se ficam ou não no bloco em um referendo, que deve acontecer em junho próximo.

Reino Unido pede menos restrições burocráticas

Para manter o Reino Unido na UE, David Cameron quer o fim da discriminação dos países do bloco que não pertencem à zona do euro. O premiê também pediu menos restrições burocráticas para aumentar a competitividade do mercado interno e enfrentar o crescimento de economias como a China e a Índia. O Reino Unido também não quer  fazer parte das próximas etapas da integração europeia.

A reivindicação mais controversa é o controle sobre a política de migração. Cameron quer que os cidadãos europeus que se instalem em seu país contribuam durante quatro anos para que possam passar a receber prestações vinculadas ao emprego ou à habitação, limitando assim as ajudas sociais e econômicas dadas pelo Estado britânico.

Permanência do Reino Unido é interesse nacional, diz Merkel

Em seu discurso no Bundestag (câmara baixa do Parlamento alemão), às vésperas da reunião em Bruxelas, a chanceler alemã Angela Merkel, declarou que a permanência do Reino Unido na UE é interesse nacional da Alemanha e que inúmeros pontos exigidos por Cameron são justificáveis. Merkel afirmou que as negociações têm que beneficiar os dois lados: não só o Reino Unido, mas também a União Europeia. Já os países do leste europeu se opõem às medidas de Londres sobre imigração comunitária.

Bloco quer frear fluxo de refugiados

Outra questão importante desta Cúpula é a crise dos refugiados. Apesar do inverno na Europa o número de pessoas chegando ao continente continua crescendo. Os dirigentes dos 28 países do bloco vão tentar encontrar soluções para frear o fluxo de refugiados no continente europeu. Na semana passada, a UE fixou o prazo de três meses para a Grécia resolver as "sérias deficiências" na proteção de sua fronteira marítima com a Turquia.

Na reunião em Bruxelas, a intenção é ajudar o governo grego a organizar melhor a recepção e a triagem dos imigrantes e assegurar a disposição do governo da Turquia em lutar contra os traficantes de refugiados. Com a chegada da primavera daqui a algumas semanas, o número de refugiados nas ilhas gregas pode certamente explodir.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.