Estado Islâmico reivindica autoria dos atentados em Bruxelas

Polícia federal belga divulgou imagens das câmeras de segurança do aeroporto de Bruxelas com os possíveis autores dos atentados.
Polícia federal belga divulgou imagens das câmeras de segurança do aeroporto de Bruxelas com os possíveis autores dos atentados. AFP PHOTO / BELGIAN FEDERAL POLICE

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) reivindicou a autoria dos atentados ocorridos na manhã desta terça-feira (22), em Bruxelas. De acordo com a agência de notícias ligada ao EI, Amaeq, combatentes do grupo realizaram os atentados na capital belga fazendo uso de cinturões de explosivos.

Publicidade

A nota divulgada no site da agência diz ainda que a cidade foi alvo porque a Bélgica participa “da coalizão internacional contra o Estado islâmico”. Catorze pessoas morreram nas duas explosões registradas no saguão de embarque do aeroporto internacional de Zaventem de Bruxelas. Na tarde desta terça-feira (22), o governador da província de Braband Flamand, Lodewijk De Witte, afirmou durante uma entrevista coletiva que três bombas foram colocadas no aeroporto, mas uma delas não explodiu. Ele explicou que o artefato foi destruído posteriormente em uma explosão controlada.
A Polícia Federal belga divulgou imagens das câmeras de segurança do aeroporto com os supostos autores dos atentados. São três homens suspeitos empurrando carrinhos de bagagem, dois vestindo casacos pretos e um deles usando chapéu.
O atentado aconteceu às 8h pelo horário local (4h em Brasília), horário de forte movimentação de passageiros. A deflagração aconteceu perto dos balcões da American Airlines e de uma companhia nacional belga. Uma parte do teto desabou e a fachada de vidro do saguão ficou em estilhaços. Fotos e imagens de vídeo divulgadas pela imprensa europeia, tiradas de dentro do aeroporto, mostram uma grande destruição no hall de embarque e várias pessoas fugindo com suas bagagens. Testemunhas disseram ter ouvido tiros e gritos em árabe antes das explosões.
Uma hora mais tarde, uma terceira explosão aconteceu na estação de metrô Maelbeek, no centro da capital belga, próxima às sedes do Parlamento e da Comissão Europeia. Um vagão lotado de passageiros explodiu quando se preparava para deixar a estação, fazendo 20 mortos. O governo belga elevou o nível de alerta terrorista de 3 para 4, o grau máximo. Medidas de segurança também foram reforçadas nos aeroportos de Paris, Londres, Frankfurt, Copenhague e Moscou. O aeroporto de Bruxelas permanece fechado e tem previsão de reabertura apenas na tarde de quarta-feira (23).
O primeiro-ministro Charles Michel disse que os ataques foram violentos e covardes. Ele pediu calma e solidariedade à população. Em Cuba, o presidente americano Barack Obama classificou como “revoltantes” os ataques. "Devemos estar juntos, independentemente da nacionalidade, da raça ou da fé, na luta contra o flagelo do terrorismo", disse o presidente.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.