Acessar o conteúdo principal
Cameron/Panama Papers

Cameron admite participação em fundo offshore revelado por Panama Papers

AFP Photo / Niklas Halle'n
1 min

O primeiro-ministro britânico, David Cameron, finalmente admitiu nesta quinta-feira (7) que possuiu até 2010 participações no fundo fiduciário de seu pai registrado nas Bahamas. O premiê vinha sofrendo pressão nos últimos dias após ter seu nome vinculado ao vazamento do "Panama Papers".

Publicidade

Em uma entrevista ao canal ITV, Cameron ressaltou que vendeu suas participações por cerca de £31,5 mil  (equivalente a R$160 mil), poucos meses antes de ser eleito primeiro-ministro.

Até então, o gabinete de Downing Street havia emitido quatro notas sobre o assunto, afirmando se tratar de um tema "privado" do primeiro-ministro. Uma fonte do governo disse nesta terça-feira (5) à AFP que o premiê "não tem qualquer participação em um fundo 'offshore".

Cameron explicou que teve um lucro de £19 mil (R$100 mil), tendo pago taxas sobre os dividendos. O jornal The Guardian, que participou das investigações do Panama Papers, cita o parlamentar trabalhista John Mann, que pediu a renúncia de Cameron.

O premiê britânico também admitiu que não sabia se a herança de R$ 1,6 milhão que recebeu do pai teria se beneficiado das vantagens de paraíso fiscal da ilha de Jersey, onde estava o fundo. “Eu obviamente não posso citar de onde vem cada centavo, pois meu pai não está mais aqui”, disse Cameron na entrevista.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.