Acessar o conteúdo principal

Metade dos alemães se considera estrangeira em seu país por causa dos muçulmanos

Alemães se consideram estrangeiros em seu próprio país
Alemães se consideram estrangeiros em seu próprio país Reuters
Texto por: RFI
1 min

Um total de 50% dos alemães se considera "às vezes como um estrangeiro" em seu próprio país por causa da presença de "muitos muçulmanos", segundo um estudo divulgado nesta quarta-feira (15).

Publicidade

Em 2014, o índice era de 43%, mas em 2016 chegou à metade dos entrevistados, segundo o estudo da Universidade de Leipzig e várias fundações.

A pesquisa mostra que 41,4% das pessoas interrogadas consideram que "deveria ser proibida a entrada de muçulmanos" na Alemanha (36,6% em 2014).

Um alemão em cada três (33,8%) acredita que o país, que em 2015 recebeu mais de um milhão de refugiados, está "invadido" pelos estrangeiros "de forma perigosa".

Além disso, 59,9% dos entrevistados não acreditam que os refugiados são realmente perseguidos em seus países de origem e 32,1% consideram que estas pessoas desejam obter os benefícios sociais.

No leste do país, 13% desejam um líder ("Führer") "que governe em interesse de todos" (10% no oeste). E entre 25,5% (leste) e 21% (oeste) desejam um partido único que encarne a "comunidade popular", um conceito retirado da doutrina nazista.

O estudo ouviu 2.420 pessoas com idade para votar.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.