Terrorismo/UE

Bélgica prende 12 suspeitos de planejar atentado terrorista

Policiais belgas participam de reconstituição de atentados na capital.
Policiais belgas participam de reconstituição de atentados na capital. REUTERS/Francois Lenoir

A Bélgica deteve nesta madrugada 12 pessoas suspeitas de planejar um atentado terrorista. Policiais da operação antiterrorista realizaram buscas em cerca de 40 imóveis, em 16 cidades, incluindo Bruxelas e os distritos de Molenbeek et Saint-Jean, onde moravam os terroristas que atacaram Paris e Bruxelas. Os suspeitos eram vigiados pelas autoridades há vários dias.

Publicidade

Segundo o canal de TV belga VTM, os suspeitos pretendiam cometer um atentado neste sábado (18) em Bruxelas, durante a partida da Eurocopa entre a seleção nacional belga contra a Irlanda. O jogo acontece às 10h (horário de Brasília) em Bordeaux, no sudoeste da França.

As buscas decorreram "sem incidentes" nas regiões de Bruxelas, Valônia e Flandres, mas não foram descobertas armas ou explosivos, diz o comunicado do Ministério Público, citado pela agência AFP. Ao todo, 40 pessoas foram interpeladas e 12 permanecem detidas. Um juiz de instrução decidirá nas próximas horas a eventual manutenção das detenções, segundo o procurador federal.

"Os elementos recolhidos durante a investigação comprovaram a necessidade imediata de intervir", justifica o Ministério Público na nota, sem adiantar nada sobre o que foi descoberto nem sobre a identidade dos suspeitos.

Bélgica emitiu alerta na quarta-feira

Na última quarta-feira (15), a polícia belga alertou para a chegada na Europa de um grupo de jihadistas da Síria e do Iraque. De acordo com o jornal belga “La Dernière Heure”, que divulgou a informação, extremistas do grupo Estado Islâmico estariam vindo para a Europa de barco, passando pela Turquia e a Grécia, sem passaportes. Eles teriam deixado o Oriente Médio no início do mês para cometer atentados na França e na Bélgica. O Ministério Público belga não comentou essas informações.

Segundo o jornal belga, os suspeitos teriam sido separados em duplas. Eles estariam em posse de armas para executar os ataques. A ação seria iminente, mas as autoridades belgas não aumentaram o nível de alerta.

“Outros inocentes vão morrer”

O atentado em Orlando, que deixou 49 mortos e 50 feridos, e a morte do casal de policiais perto de Paris, na semana passada, geraram um novo clima de ansiedade na França.

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, não esconde que o país, alvo do grupo Estado Islâmico, será palco de novos ataques. “Outros inocentes vão morrer. É difícil de dizer, mas é a realidade”, declarou em entrevista à rádio France Inter.

O presidente François Hollande lembrou que a vigilância estava em seu nível máximo. Em um vídeo transmitido ao vivo pelo Facebook na casa dos dois policiais, onde ocorreu o crime, o autor do ataque, Larossi Abballa, declarou que a Eurocopa “será um cemitério”, e que “outras surpresas” aconteceriam durante a competição. Depois do atentado, três pessoas foram detidas para interrogatório.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.