Cinema/Inglaterra

John Hurt, ator de "O Homem Elefante", morre aos 77 anos

John Hurt morreu aos 77 anos.
John Hurt morreu aos 77 anos. REUTERS/Marcelo del Pozo
3 min

O ator britânico John Hurt, que ficou conhecido mundialmente pelo filme "O Homem Elefante", morreu aos 77 anos, vítima de um câncer no pâncreas. O anúncio oficial foi feito neste sábado (28) por sua esposa.

Publicidade

Em um comunicado, Anwen Hurt afirmou: "É com uma tristeza infinita que confirmo que meu marido, John Hurt, morreu na quarta-feira, 25 de janeiro, em seu domicílio em Norfolk".

Hurt foi nomeado duas vezes ao Oscar, como ator principal no filme que o consagrou, "O Homem Elefante", (1980) e dois anos antes como ator coadjuvante no filme "Expresso da Meia-Noite" (1978), que o revelou.

Pela sua atuação em "Expresso da Meia-Noite" ele conquistou um prêmio no Bafta Awards, prestigioso prêmio britânico para o cinema e a televisão, e também um Globo de Ouro.

O ator britânico também incarnou vários papéis em filmes de grandes produções. Entre eles o senhor Garrick Olivaras da série "Harry Porter". Em mais de 60 anos de carreira, John Hurt interpretou outros personagens que marcaram sua carreira como o oficial Kane em "Alien, o oitavo passageiro" (1979), "V de vingança" (2005) e "O espião que sabia demais" (2011).

Reações

Assim que foi revelada a morte de Hurt, várias homenagens surgiram nas redes sociais, de anônimos e artistas. O americano Elijah Wood (Frondon, da trilogia "O Senhor dos Anéis") escreveu no Twitter: "Muito triste de saber da morte de John Hurt. Foi uma honra ter visto seus trabalhos, sir".

"John Hurt foi um dos maiores, generosos e autênticos atores com que eu trabalhei. Um homem impressionante. Você vai nos fazer falta", escreveu o ator Chris Evans.

John Hurt nasceu em 22 de janeiro de 1940 perto de Chesterfield, região central da Inglaterra. Ele deveria seguir a carreira de professor de desenho, mas entrou na prestigiosa Academia Real de Arte Dramática. Ele começou a carreira em produções britânicas nos anos 1960.

No total, ele participou de mais de 140 filmes e em várias séries de televisão como "Doctor Who". Ao longo de sua extensa carreira, ele conquistou quatro Bafta.

Seu câncer foi diagnosticado em 2005, mas não o impediu de continuar trabalhando. Sua última atuação foi como o padre Richard McSorley no filme "Jackie", que relata a história da ex-primeira dama dos Estados Unidos, Jackie Kennedy. O filme foi lançado em dezembro nos Estados Unidos.

Seguindo recomendação médica, ele foi obrigado a recusar um papel em uma peça de teatro em julho passado. "É com imensa tristeza e grande decepção que devo renunciar", disse na ocasião.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.