Acessar o conteúdo principal
Imigração

Após troca de farpas sobre imigração, Macron e Conte se reúnem Paris

Fotomontagem do presidente francês, Emmanuel Macron, e o presidente do Conselho italiano, Giuseppe Conte.
Fotomontagem do presidente francês, Emmanuel Macron, e o presidente do Conselho italiano, Giuseppe Conte. REUTERS/Philippe Wojazer/Tony Gentile/ RFI
Texto por: RFI
2 min

Depois de passarem dois dias trocando acusações sobre a situação dos migrantes do navio Aquarius, o presidente francês, Emmanuel Macron, e o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, fizeram as pazes nesta quinta-feira (14). Os dois líderes confirmaram um encontro para discutir a questão na sexta-feira (15) em Paris.

Publicidade

Macron e Conte anunciaram que a reunião, para tratar da crise migratória na Itália, será realizada. O presidente teria telefonado ao presidente do Conselho italiano para pedir desculpas.

Na conversa, Macron, que esta semana chamou de "cínica e irresponsável" a recusa de Roma de receber o barco de migrantes Aquarius, "ressaltou que não fez nenhum comentário com a intenção de ofender a Itália e o povo italiano", informou a presidência francesa.

Os dois líderes também falaram sobre a situação dos mais de 600 migrantes resgatados na madrugada do último domingo (10) à bordo do Aquarius, que, depois de dias de impasse, segue para a Espanha. Ambos concordaram que "França e Itália devem aprofundar a cooperação bilateral e europeia para realizar uma política migratória eficaz com os países de origem e de trânsito".

Crise diplomática

A crise entre França e Itália provocada pela situação dos migrantes do barco "Aquarius" se agravou na quarta-feira (13), quando Roma exigiu desculpas de Paris após declarações do presidente francês, consideradas "inadmissíveis". Para Conte, "a Itália não pode aceitar lições hipócritas de países que preferiram virar a cabeça para as questões de imigração".

Roma acusa regularmente seus parceiros europeus, a começar pela França, de deixá-la sozinha diante da crise imigratória e os 700 mil migrantes que chegaram ao litoral italiano desde 2013.

Tentando se retratar, Macron pediu que as pessoas não cedessem à emoção e afirmou que continuava trabalhando lado a lado com a Itália. Os dois líderes farão uma entrevista coletiva nesta sexta-feira após a reunião.

A escalada da tensão entre os dois países acontece dias antes de um Conselho Europeu, nos dias 28 e 29 de junho, que deve se concentrar na questão imigratória.

As trocas de acusações entre Paris e Roma evidencia a cacofonia que reina na Europa sobre a questão. Na quarta-feira (13), o chanceler austríaco, Sebastian Kurz, aprovou medidas para "a luta contra a imigração ilegal" entre Áustria, Itália e Alemanha.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.