Acessar o conteúdo principal
Áustria

Extrema direita recua e conservadores vencem eleição na Áustria

Partidários do primeiro-ministro Sebastian Kurz celebram a vitória, após o anúncio das projeções eleitorais em Viena.
Partidários do primeiro-ministro Sebastian Kurz celebram a vitória, após o anúncio das projeções eleitorais em Viena. REUTERS/Leonhard Foeger
Texto por: RFI
3 min

O partido do primeiro-ministro conservador Sebastian Kurz (OVP) venceu neste domingo (29) as eleições legislativas na Áustria com 37,2% dos votos e está bem posicionado para retornar ao poder, quatro meses depois de ser derrubado por um escândalo envolvendo os aliados de extrema direita. As projeções indicam um recuo de dez pontos da direita nacionalista xenófoba, da sigla FPO, enfraquecida pelo Ibizagate.

Publicidade

De acordo com as projeções da TV pública austríaca, os socialistas (SPO) ficaram em segundo lugar, com 22% dos votos. A extrema direita recuou para o terceiro lugar, com apenas 16% dos sufrágios.

A principal surpresa da eleição foi a votação expressiva nos candidatos ecologistas. Os Verdes retornam ao Parlamento austríaco depois de obter entre 13% e 14% dos votos, contra menos de 4% nas eleições de 2017. Os liberais pró-europeus da legenda NEOS obtiveram 7%, segundo projeções.

Ibizagate

O primeiro-ministro austríaco se viu obrigado a convocar eleições antecipadas depois que o líder da extrema-direita Heinz-Christian Strache pediu demissão do cargo de vice-primeiro-ministro e da presidência do seu partido, após um ano e meio no poder em uma aliança com os conservadores. Um vídeo gravado clandestinamente em Ibiza, na Espanha, revelou que Stracher ofereceu contratos públicos em troca de apoio político e financeiro a uma mulher que afirmava ser sobrinha de um oligarca russo.

Jogo de alianças

Apesar do escândalo, a votação de domingo mostra que o primeiro-ministro Kurz não foi atingido pelo caso. Seu partido cresceu 5 pontos em relação às eleições de 2017.

O partido conservador tem, matematicamente, a possibilidade de formar três alianças. Eles podem se aliar aos socialistas, mas um passado de disputas políticas entre os dois partidos tende a dificultar as negociações. No Partido Conservador, muitos parlamentares preferem governar com os Verdes, mas existem diferenças políticas fundamentais que obrigariam Kurz a fazer concessões. Uma aliança entre conservadores e a extrema direita, dois partidos ideologicamente próximos, poderá ser renovada, apesar do abalo na legenda nacionalista.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.