Acessar o conteúdo principal
RFI Convida

Brexit tende a aumentar número de brasileiros ilegais no Reino Unido

Áudio 06:53
Ricardo Zagotto é consultor de imigração da Associação Brasileira no Reino Unido (Abras)
Ricardo Zagotto é consultor de imigração da Associação Brasileira no Reino Unido (Abras) Arquivo pessoal/ Facebook
Por: Lúcia Müzell
10 min

Agora é oficial: o Reino Unido saiu da União Europeia neste dia 31 de janeiro, depois de mais de três anos de uma queda de braço com o bloco. Inicia-se um período de transição para os europeus que vivem em solo britânico, até julho de 2021. Depois, a mudança das regras vai impactar também nos imigrantes brasileiros: a maioria deles consegue legalizar a situação no país graças às regras europeias em vigor atualmente.

Publicidade

“Muitos brasileiros ainda pensavam que o Brexit seria reversível. Agora, é um desespero”, afirma Ricardo Zagotto, consultor de imigração da Associação Brasileira no Reino Unido (Abras). “Mas no período transitório, não muda nada: ninguém precisa correr para tomar uma atitude hoje”, tranquiliza o especialista.

O brasileiro que vai ao Reino Unido como visitante pode ficar no país por até 180 dias, dependendo do motivo da viagem. Neste período, se pretende passar mais tempo, é obrigado a retornar ao Brasil para formalizar um pedido de visto, que obedece a uma série de rigorosos requisitos.

“Mas quando eles se tornam cidadãos europeus ou casam-se com um europeu, eles podem mudar a situação migratória deles aqui no país mesmo”, diz o representante da Abras. “É de longe, disparado, o maior canal de legalização. Se tem tantos brasileiros vivendo de forma legal no Reino Unido, é graças à regra europeia”, indica.

Com o fim das facilidades para os cidadãos europeus, o processo de permanência se torna automaticamente mais difícil - e tende a levar a um aumento da ilegalidade, frisa Zagotto.

Imigrantes como outros

O Brexit, entretanto, vai modificar as normas de imigração. Europeus também precisarão de um tipo de visto para morar no Reino Unido, a partir de 1º de julho de 2021. Desde já, eles são convidados a se cadastrarem no EU Settlement. O programa prevê diversos tipos de permissões de estadia no país, de acordo com a razão, como estudos ou para trabalhar em uma empresa.

“Os europeus estavam isentos disso. Agora, as pessoas que se beneficiavam das regras europeias estão migrando para o sistema britânico de imigração, de uma forma facilitada", complementa Zagotto.

Possível revisão das exigências para cidadãos de fora da União Europeia

Por outro lado, existe a esperança de que as exigências deixem de ser tão rigorosas para cidadãos de fora do bloco europeu, como os brasileiros que não têm dupla cidadania.

“É uma das promessas do governo britânico, de que ao sair da União Europeia, o Reino Unido se torne mais global e facilite a entrada de estrangeiros, retire algumas restrições pesadas para os cidadãos de fora do bloco. Aguardamos com ansiedade para saber como vai ser”, indica o consultor, sinalizando que um projeto de lei já tramita Parlamento britânico para reformar o sistema de imigração do país.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.