Acessar o conteúdo principal

Após dois dias de declínio, número de mortos por Covid-19 volta a subir na Itália

Um carro da polícia Carabinieri patrulha ao longo de uma Via dei Condotti deserta, a famosa rua comercial de luxo de Roma, em 4 de abril de 2020 na capital italiana.
Um carro da polícia Carabinieri patrulha ao longo de uma Via dei Condotti deserta, a famosa rua comercial de luxo de Roma, em 4 de abril de 2020 na capital italiana. AFP
Texto por: RFI
3 min

O número de mortos na Itália começou a subir novamente nesta segunda-feira (6), com 636 mortes adicionais em 24 horas, após dois dias consecutivos de declínio, anunciou a Proteção Civil italiana.

Publicidade

A Itália, o país mais atingido pela epidemia de Covid-19, com um total de 16.523 mortes em mais de 132.000 casos, começou a esperar uma pausa após registrar quedas significativas no sábado (4) e domingo (5), em comparação com as 766 mortes de sexta-feira (3).

A Lombardia, o pulmão econômico da península, continua sendo a região mais afetada, com 9.202 mortes em mais de 51.000 casos, seguidas por Emilia-Romagna, 2.108 mortes em mais de 17.000 casos.

O número de pacientes em terapia intensiva continuou a declinar pelo terceiro dia consecutivo, com 79 pacientes a menos em comparação com o domingo, totalizando 3.898 pessoas.

Durante sua entrevista coletiva diária, o chefe da Proteção Civil, Angelo Borrelli,anunciou a criação de um fundo "destinado a ajudar as famílias de profissionais de saúde que morreram nesta crise".

Várias dezenas de médicos morreram de coronavírus na Itália desde o início da pandemia, segundo dados da Ordem dos Médicos. No total, 12.252 profissionais de saúde foram contaminados, segundo o Instituto Superior de Saúde.

Questionado sobre o início da fase 2, a retirada gradual e parcial de medidas estritas de contenção e fechamento de atividades econômicas não essenciais, Borrelli disse que o governo tomaria uma decisão antes de 13 de abril (segunda-feira de Páscoa, feriado na Europa), a data em que essas medidas expiram.

"O comitê técnico-científico está atualmente realizando avaliações, mas caberá aos tomadores de decisão política e, portanto, ao Conselho de Ministros e ao Presidente do Conselho decidir a data e as modalidades" desta fase 2, disse ele.

Uso obrigatório de máscaras

Um número crescente de regiões italianas está introduzindo o uso obrigatório de uma máscara protetora ou, na sua falta, de um cachecol cobrindo o nariz e a boca, assim que alguém sai de casa.

Depois da Lombardia, a Toscana (centro) anunciou a introdução desta medida até o final da semana, e Emília-Romagna (centro-norte) também está considerando.

“Não podemos ficar trancados em casa para sempre, mas consideramos que esse sacrifício deve ser mantido por mais duas ou três semanas para impedir a propagação. No que diz respeito às máscaras, provavelmente teremos que nos acostumar a usá-lo nos próximos meses", afirmou, por sua vez, o secretário de saúde da região da Lombardia, Giulio Gallera.

(Com informações da AFP)

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.