Covid-19: Casos aumentam e Alemanha impõe uso obrigatório de máscaras

Mulher caminha com máscara de proteção contra o coronavírus na estação do Jardim Zoológico, em Berlim.
Mulher caminha com máscara de proteção contra o coronavírus na estação do Jardim Zoológico, em Berlim. AFP - ODD ANDERSEN

O uso de máscaras de proteção contra o novo coronavírus torna-se obrigatório a partir desta quarta-feira (29) na Alemanha. Os alemães deverão usar o acessório no espaço público, incluindo no comércio, nas empresas e nos transportes. O contágio voltou a crescer no país, com 1.304 casos adicionais da infecção e 202 novas mortes em 24h.

Publicidade

A cidade-Estado de Berlim, capital do país, foi a última a aderir ao uso generalizado das máscaras. Os demais 15 estados alemães tinham adotado a medida desde a semana passada.

Doze dias depois da chanceler Angela Merkel anunciar ter controlado a epidemia na maior economia da Europa, a taxa de transmissão do vírus subiu de 0,5 para 0,9, o que significa que 10 pessoas portadoras do vírus infectam outras 9. A Alemanha, que vem sendo elogiada pela gestão eficaz da crise sanitária, registra mais de 157 mil casos confirmados da Covid-19 e 6.115 mortos.

O ministro da Saúde, Jens Spahn, disse nesta quarta-feira que o país tem capacidade para realizar 900 mil testes de coronavírus por semana. Ele pretende generalizar a testagem entre os profissionais da saúde como uma prioridade. Enquanto o país realiza atualmente 470 mil testes semanais, o aumento da capacidade de diagnóstico pode ajudar a prevenir um surto de Covid-19 nas equipes médicas de hospitais e nos centros de atendimento de idosos, disse o ministro.

"Acho muito importante notar, depois do que conseguimos fazer nas últimas semanas, (...) que o maior risco de desencadear o vírus está no sistema de saúde", afirmou, desejando que os testes sejam realizados "da maneira mais completa e preventiva possível", declarou Spahn. 

Viagens desaconselhadas

O ministro das Relações Exteriores, Heiko Maas, anunciou nesta quarta-feira a prorrogação até meados de junho do alerta emitido pelo governo para que os alemães evitem viagens de turismo ao exterior, por causa da pandemia do novo coronavírus.

"Ainda não chegamos ao ponto em que podemos recomendar viagens ao exterior com segurança", razão pela qual é necessário estender o aviso de viagens ao redor do mundo até meados de junho", disse Maas em uma coletiva de imprensa em Berlim.

 

 

Recessão histórica desde a Segunda Guerra

A chanceler alemã tem enfrentado pressões de membros de seu partido conservador e também da oposição para retomar a atividade econômica com mais celeridade.

O governo anunciou hoje que o PIB do país deve recuar 6,3% em 2020. Na previsão anterior, o Ministério da Economia ainda apostava em um crescimento de 1,1%. Porém, com as medidas de distanciamento social adotadas em março, a atividade econômica despencou.

A recessão deve atingir seu ponto mais baixo no segundo trimestre, e depois entrar em uma fase de recuperação progressiva. Para 2021, Berlim prevê um crescimento de 5,2%.

Com informações de agências

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.