Acessar o conteúdo principal

Coronavírus impõe comemorações restritas dos 75 anos do fim da 2ª Guerra Mundial

Um veterano carrega a bandeira francesa durante a cerimônia para lembrar os 75 anos do fim da Segunda Guerra Mundial nesta sexta-feira, 8 de maio de 2020, em Nice.
Um veterano carrega a bandeira francesa durante a cerimônia para lembrar os 75 anos do fim da Segunda Guerra Mundial nesta sexta-feira, 8 de maio de 2020, em Nice. AFP
Texto por: RFI
4 min

As cerimônias em comemoração dos 75 anos do fim da Segunda Guerra Mundial no continente europeu, celebradas nesta sexta-feira (8), acontecem em condições restritas devido à pandemia de coronavírus. Na Europa, onde a doença já matou 150.000 pessoas, os governos adotam protocolos diferenciados para recordar a capitulação nazista em 8 de maio de 1945.

Publicidade

Na França, o presidente Emmanuel Macron presidiu uma cerimônia em formato reduzido no túmulo do soldado desconhecido, no Arco do Triunfo em Paris. A Praça da Étoile, no alto da avenida do Champs-Elysées, onde está localizado o monumento, estava praticamente vazia no momento da cerimônia. Antes de chegar ao local, Macron depositou uma coroa de flores diante da estátua do general de Gaulle, chefe da resistência francesa durante a Segunda Guerra Mundial e a ocupação nazista da França.

Participaram da cerimônia, apenas os ex-presidentes Nicolas Sarkozy e François Hollande, descendentes do general de Gaulle, alguns ministros, os líderes da Assembleia e do Senado, o primeiro-ministro Édouard Philippe, a prefeita da Paris, Anne Hidalgo, e a cúpula militar. As personalidades presentes tiveram que respeitar o distanciamento social para evitar o uso de máscaras de proteção

A única surpresa ficou por conta de aviões britânicos, que cruzaram o céu da avenida Champs-Elysées. Na Torre Eiffel, uma bandeira francesa foi instalada para "homenagear os combatentes e resistentes da Segunda Guerra Mundial e celebrar a paz". A ideia da instalação foi do presidente Macron, que tuitou a foto da bandeira instalada no primeiro andar do monumento.

O presidente francês havia previsto comemorar os 75 anos da capitulação nazista e o fim do conflito na Europa em Moscou. A pandemia mudou os planos, mas Macron telefonou nessa quinta-feira (7) ao presidente russo Vladimir Putin para lembrar o "reconhecimento do povo francês ao povo russo e a necessidade de construção da paz no continente europeu e no resto do mundo", informou o Palácio do Eliseu.

Cerimônias em outros países

Na Alemanha, Berlim decretou um dia de feriado excepcional. A chanceler Angela Merkel e o presidente Frank-Walter Steinmeyer depositaram flores no Portal de Brandemburgo. O presidente alemão pediu, durante a cerimônia, para a comunidade internacional aprender com a lição do fim da Segunda Guerra Mundial para buscar "mais cooperação na luta contra a pandemia do novo coronavírus".

Na noite desta sexta-feira, no Reino Unido que teve uma participação decisiva para a vitória dos aliados, a rainha Elisabeth II falará aos britânicos, no segundo pronunciamento na TV desde o início da pandemia. Nos Estados Unidos, com 75.500 mortos pelo coronavírus, o Ministério da Defesa organiza um "Dia da Vitória na Europa" virtual, com transmissão ao vivo no site do Pentágono e nas redes sociais.

A Segunda Guerra Mundial deixou cerca de 60 milhões de mortos no mundo. O conflito terminou na Europa com a invasão de Berlim por tropas soviéticas e a rendição dos alemães em 8 de maio de 1945, mas só foi completamente encerrado em 15 de agosto, após a capitulação japonesa.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.