Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Covid-19: Alemanha voltou a registrar um ligeiro aumento de casos após medidas de relaxamento

Áudio 04:29
Alemanha, o país voltou a registrar um ligeiro aumento do número de casos após medidas de relaxamento
Alemanha, o país voltou a registrar um ligeiro aumento do número de casos após medidas de relaxamento REUTERS/Thilo Schmuelgen
Por: Márcio Damasceno

A Alemanha começou a semana com novas flexibilizações nas medidas de distanciamento social. A partir desta segunda (11), restaurantes, academias e salões de beleza puderam reabrir em alguns estados do país. Mas o retorno à normalidade causa confusão, pelas diferenças entre as regiões. Além disso, o relaxamento ocorre em meio à preocupação pelo aumento da taxa de contágio do coronavírus e pelos protestos contra o isolamento.

Publicidade

Na Alemanha, cada um dos 16 estados estipulam sua política de isolamento, apesar de as linhas gerais serem coordenadas com o governo federal. Como resultado, enquanto em Berlim as pessoas ainda não podem ir ao restaurante, em alguns outros estados isso já é possível. Academias de ginástica foram abertas em certas regiões, coisa que não ocorre ainda em Berlim.

Na capital alemã, o comércio abriu como um todo, mas existe a obrigatoriedade de uso de máscara dentro das lojas e nos transportes públicos. Os museus foram reabertos, sob condições especiais de distanciamento. As escolas estão reabrindo também paulatinamente na cidade, e as aulas acontecem em dias intercalados, para possibilitar um maior distanciamento na sala de aula.

Volta ao distanciamento não está descartada

O relaxamento das restrições ocorre quando é registrado um aumento na taxa de contágio pelo coronavírus na Alemanha. O retorno ao isolamento não está descartado e vai depender da tendência nos próximos dias. As autoridades sanitárias estão observando com atenção esses dados.

Na semana passada, quando os governos federal e estaduais decidiram ampliar o alívio das restrições, a taxa de contágio era baixa, estava em 0.65. Isso quer dizer que, em média, cada indivíduo contagiado transmite o vírus para menos de uma pessoa. Ou que dez pessoas transmitem em média o vírus para cerca de seis outros indivíduos.

Mas desde o fim de semana as autoridades têm verificado um aumento nesse índice, que em poucos dias chegou a 1,13.

Especialistas lembram que o crescimento da taxa não está diretamente relacionado com o alívio das restrições porque esses dados atuais refletem algo que ocorreu há cerca de duas semanas. Uma hipótese é que ele seria causado pela atitude mais relaxada da população em relação à pandemia nos dias anteriores à decisão das autoridades de flexibilizar o isolamento.

Os efeitos do relaxamento podem ser notados no cotidiano. Em Berlim, por exemplo, muitas pessoas já frequentam parques e locais públicos sem tomarem os cuidados necessários, como distanciamento de, no mínimo, um metro e meio entre as pessoas. O distanciamento também vem diminuindo dentro de supermercados, embora todos usem máscaras.

Crescem protestos contra restrições

No último fim de semana ocorreram manifestações em diversas cidades alemãs. A maior delas reuniu milhares de pessoas em Stuttgart, no sul do país. Também foram registradas outras mobilizações em Berlim, Frankfurt, Colônia e Munique.

O movimento contra as medidas de isolamento tem crescido nas últimas semanas no país, reunindo grupos que vão de esotéricos a teóricos da conspiração e extremistas de direita. Também tem adesão de integrantes de movimentos antivacina, que temem uma lei obrigando a vacinação contra o novo coronavírus.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.