Acessar o conteúdo principal

Novo balanço revela que Covid-19 já matou mais de 48 mil no Reino Unido

Reino Unido já tem 48 mil mortes atribuídas à Covid-19.
Reino Unido já tem 48 mil mortes atribuídas à Covid-19. AP - Alberto Pezzali

Mais de 48 mil pessoas morreram no Reino Unido com causa suspeita ou comprovada do novo coronavírus. O número, baseado em dados do Escritório Nacional de Estatísticas (ONS), representa um balanço superior ao que o vinha sendo apresentado até agora pelas autoridades de saúde do país.

Publicidade

A diferença se deve ao fato de que os relatórios diários do governo são limitados às pessoas testadas positivo para a Covid-19. Segundo o último balanço do governo, baseado nesses critérios e divulgado na segunda-feira (1°), 39.045 pessoas morreram, contra os 48 mil mortes contabilizadas pelo ONS.

Os dados do ONS também revelam 62 mil mortes a mais no país, em comparação com a média dos últimos cinco anos em todo o Reino Unido, desde o início da pandemia.

No entanto, a situação vem mudando nos últimos dias. O número de mortes relacionadas à Covid-19 na Inglaterra e no País de Gales atingiu seu nível mais baixo em sete semanas, com 2.589 mortes na semana que terminou em 22 de maio, informou o ONS.

Flexibilização do confinamento

O país está flexibilizando gradualmente o confinamento decretado no final de março, com a reabertura de escolas, concessionárias de automóveis e mercados ao ar livre. Lojas de roupas, livrarias e outras empresas não essenciais poderão reabrir em meados de junho.

O Reino Unido é o segundo país em número de mortos pela pandemia, depois dos Estados Unidos. O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, ele mesmo vítima da doença, foi acusado de não ter levado a epidemia a sério. O chefe do governo chegou a se vangloriar de ter apertado a mão de pacientes contaminados, durante uma visita ao hospital, no dia 3 de março. O premiê teve sintomas graves do vírus e chegou a ser internado na UTI e colocado em respiração artificial.

Divergência nos números

Essa não é a primeira vez que países europeus enfrentam divergência nos números de mortos da Covid-19, já que geralmente são contabilizados apenas as vítimas fatais que foram testadas positivo. Poucos países, como a Bélgica por exemplo, levam em consideração os óbitos de pessoas testadas, mas também suspeitas, além dos que morreram nas casas de repouso para idosos.

Já na Itália, na semana passada, o Instituto de previdência Social alertou que o balanço de 32 mil mortos do novo coronavírus no país seria bem inferior à realidade. Em ume estudo divulgado pela entidade na quinta-feira (21), o país teria pelo menos outras 19 mil vítimas fatais, entre suspeitos que não foram testados, mortos em casa e nem sempre diagnosticados, mas também vítimas indiretas, como pessoas que perderam a vida por causa de outras doenças e que não conseguiram tratamento nos hospitais, saturados por causa da pandemia.

(Com informações da AFP)

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.