Médicos autorizam transferência de Navalny, líder da oposição russa, para Alemanha

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, poderá ser transferido para um hospital na Alemanha.
O líder da oposição russa, Alexei Navalny, poderá ser transferido para um hospital na Alemanha. REUTERS/Shamil Zhumatov

Após terem negado a permissão para que o líder da oposição russa, Alexei Navalny, deixasse o hospital na Sibéria, os médicos russos deram sinal verde para a transferência nesta sexta-feira (21), a pedido da família.

Publicidade

"Decidimos não nos opor a sua transferência para outro hospital, aquele designado por seus parentes", disse Anatoly Kalinichenko, vice-diretor do hospital de emergência de Omsk. Segundo ele, a condição de Nalvany é estável.

O opositor será transferido nas próximas horas para a Alemanha, em um avião fretado pela ONG Cinema for Peace. A equipe médica alemã pôde examinar o advogado de 44 anos e assegurou que ele tem condições de viajar no avião adaptado e seguir seu tratamento em Berlim.

Transferência foi negada pela manhã

Pela manhã, as autoridades russas negaram a transferência do principal opositor de Vladimir Putin. Na ocasião, os médicos avaliaram que seu estado era "instável", o que comprometeria o transporte.

Preocupada com a segurança do líder da oposição, sua mulher, Yulia Navalnaya, chegou a apelar ao presidente russo, em uma carta postada no Twitter, pedindo-lhe autorização para a transferência.

O grupo de Navalny também recorreu ao Tribunal Europeu dos Direitos Humanos (CEDH) para conseguir levá-lo ao hospital Charité em Berlim.

Suspeita de envenenamento

Os aliados de Navalny denunciam que o advogado de 44 anos, líder da oposição a Putin na Rússia, foi vítima de um envenenamento. A suspeita é que tenham adicionado alguma substância no chá tomado pelo opositor enquanto aguardava um voo em um aeroporto na Sibéria.

Navalny estava em Tomsk a trabalho. Ele viaja atualmente por toda a Rússia para promover sua estratégia para as eleições regionais que serão realizadas em cerca de 30 regiões em setembro.

O líder da oposição chegou a embarcar no voo que o levaria a Moscou, mas o avião teve de fazer um pouso de emergência devido à grave situação de saúde de Nalvany. Circulam pela internet vídeos feitos dentro da aeronave em que se pode ouvir os gritos do opositor durante o voo.

Os médicos do hospital em que ele está internado afirmaram que não foi encontrado nenhum indício de envenenamento. O diretor do hospital, Alexandre Mourakhovski, declarou que o principal diagnóstico é de que Navalny sofre de "um problema metabólico relacionado com uma baixa glicemia [taxa de açúcar no sangue]".

O grupo da oposição contesta veementemente a declaração. "Não há dúvida de que ele foi envenenado por sua posição e atividades políticas", escreveu nas redes sociais Vyasheslav Gimadi, diretor jurídico da fundação anticorrupção dirigida por Navalny. Gimadi pediu a abertura de uma investigação pela tentativa de homicídio de uma pessoa pública.

Navalny e seu Fundo de Combate à Corrupção, criado em 2012, são constantemente perseguidos pelas autoridades russas. Seus seguidores são detidos com frequência.

Outros envenenamentos e morte 

Nalvany é considerado o principal rival do presidente russo desde o assassinato de Boris Nemtsov em 2015, morto a tiros perto do Kremlin. Amigos declararam que ele estava prestes a divulgar documentos que comprometiam Putin.

Desde então, outros adversários do Kremlin foram envenenados, na Rússia ou no exterior. Em março de 2018, o ex-espião Serguei Skripal e sua filha Yulia foram encontrados inconscientes em um banco na rua, em uma pequena cidade no sul da Inglaterra. 

Londres acusou Moscou de estar por trás de um envenenamento com Novichok, um poderoso agente nervoso fabricado na era soviética, acusações que o Kremlin negou. O caso provocou uma crise diplomática entre os dois países.

(Com informações da AFP)

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.