Itália proíbe voos do Brasil por causa de variante do coronavírus

Um Airbus A320 da companhia Alitalia no aeroporto romano de Fiumicino.
Um Airbus A320 da companhia Alitalia no aeroporto romano de Fiumicino. AFP
Texto por: RFI
4 min

Um dos países mais afetados pela pandemia de Covid-19 na Europa, a Itália anunciou neste sábado (16) a proibição de voos oriundos do Brasil devido a uma nova variante do coronavírus descoberta na Amazônia.

Publicidade

“Assinei uma portaria que bloqueia os voos com partida do Brasil e proíbe a entrada na Itália de pessoas que tenham estado naquele país nos últimos 14 dias”, escreveu o ministro da Saúde italiano, Roberto Speranza, em um tuíte.

“Quem já está na Itália e vem deste país deve se submeter a um teste e entrar em contato com as autoridades de saúde”, acrescentou o ministro.

A Itália foi o primeiro país europeu a ser duramente atingido pela pandemia de Covid-19. O aumento recente do número de contaminações levou o governo a adotar medidas rígidas durante as festas de fim de ano.

Reino Unido já tinha proibido voos do Brasil

O governo britânico já havia proibido, desde a quinta-feira (14), as chegadas de voos de todos os países da América do Sul e do Panamá, além de Portugal. A medida foi tomada em resposta à nova variante da Covid-19, descoberta no Brasil. A decisão foi anunciada nas redes sociais pelo ministro britânico dos Transportes, Grant Shapps.

No último domingo (10), o Japão anunciou ter detectado uma nova variante do coronavírus, destacando não saber de imediato se ela é mais contagiosa ou perigosa que as outras linhagens encontradas nos últimos meses. A mutação foi detectada em dois adultos e duas crianças que chegaram ao Japão vindos do Brasil, indicaram as autoridades sanitárias japonesas, acrescentando que a nova variante teria semelhanças com as cepas originárias do Reino Unido e da África do Sul.

França reforça fronteiras

A partir de segunda-feira (18), a França endurece o controle em suas fronteiras em uma tentativa de conter a propagação da pandemia de Covid-19, principalmente em razão das novas variantes do vírus, vindas do Reino Unido, África do Sul e Brasil. O governo francês não proibiu oficialmente a entrada de nenhum cidadão, como fizeram as autoridades britânicas, mas tornou o acesso ao seu território mais complexo.

O primeiro-ministro Jean Castex anunciou na quinta-feira (14) que um teste PCR negativo será exigido a todos os viajantes vindos de fora da União Europeia. Eles terão em seguida que se isolar durante sete dias e, depois desse prazo, deverão refazer o teste para detectar a Covid-19.

(Com informações da AFP)

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.