Rússia prende opositor Alexei Navalny no desembarque em Moscou

Oficiais russos prendem Alexei Navalny quando ele passava pelo controle de passaportes, em Moscou. Em 17 de janeiro de 2021.
Oficiais russos prendem Alexei Navalny quando ele passava pelo controle de passaportes, em Moscou. Em 17 de janeiro de 2021. REUTERS - REUTERS TV
Texto por: RFI
3 min

O Serviço Prisional Russo (FSIN) confirmou ter prendido o opositor Alexei Navalny neste domingo (17), na chegada dele a Moscou. O Kremlim o acusa de ter violado as condições de uma pena de prisão suspensa em 2014.

Publicidade

De acordo com um comunicado do FSIN, Alexei Navalny, que chegou à Rússia no fim da tarde após vários meses de tratamento na Alemanha em razão de uma suspeita de envenenamento, "permanecerá detido até a decisão do tribunal" sobre seu caso. As autoridades russas acrescentaram que Navalny, de 44 anos, "está em uma lista de pessoas procuradas desde 29 de dezembro de 2020”.

O avião com o principal adversário russo a bordo decolou do aeroporto de Berlim às 11h17 (7h17 em Brasília). Navalny disse aos jornalistas que não tinha medo de ser preso. "Serei preso? É impossível, sou inocente", afirmou, depois de expressar seu agradecimento à Alemanha por sua recuperação. "Quero expressar meu mais profundo agradecimento. Obrigado a todos, espero que tudo fique bem. Hoje estou muito feliz", disse, antes de ser conduzido a aeronave, juntamente com a esposa Yulia.

Três laboratórios europeus concluíram que o opositor havia sido envenenado com uma substância neurotóxica do tipo Novitchok, desenvolvida durante a era soviética para fins militares. Os laudos foram confirmados pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), apesar dos desmentidos de Moscou.

Voo desviado

O voo de Navalny foi desviado para o aeroporto Sheremetievo, em Moscou, diferente daquele onde deveria pousar e onde seus apoiadores e policiais o esperavam. Segundo jornalistas da AFP, o piloto da aeronave que vinha de Berlim anunciou primeiro um atraso de 30 minutos devido a um "problema técnico", antes de indicar que se dirigia para Sheremetyevo e não pousaria no aeroporto de Vnukovo, conforme fora planejado.

Nas redes sociais, mais de 9.000 pessoas haviam afirmado que desejavam receber Alexei Navalny no desembarque. Mesmo ciente dos riscos que enfrentava, ele decidiu voltar ao seu país. A administração do aeroporto proibiu jornalistas de filmarem a chegada de Navalny, dizendo que forneceriam as imagens depois. Desde a noite de sábado (16), forças policiais reforçavam a segurança nos arredores do aeroporto.

Condenado a 3 anos e meio de prisão em um caso de fraude, Alexei Navalny não compareceu a uma revisão judicial, há algumas semanas. Ele estava se recuperando na Alemanha, mas a carta enviada para justificar sua ausência à audiência teria chegado tarde demais.

No final de dezembro, outra investigação criminal foi aberta contra o opositor. A Justiça russa acusa Navalny de ter utilizado para fins pessoais cerca de € 4 milhões de um fundo anticorrupção. Por esse caso ele pode ser condenado a até 10 anos de prisão.

As reações à prisão do opositor não demoraram. O presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, disse que considera "inaceitável" a detenção de Navalny e pediu sua libertação "imediata".

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.