"Justiça para todos": jornais franceses destacam a condenação do ex-presidente Nicolas Sarkozy

A condenação do ex-presidente Nicolas Sarkozy é manchete na imprensa francesa nesta terça-feira (2).
A condenação do ex-presidente Nicolas Sarkozy é manchete na imprensa francesa nesta terça-feira (2). © Fotomontagem RFI/Adriana de Freitas

Os jornais franceses desta terça-feira (2) repercutem a condenação do ex-presidente Nicolas Sarkozy pelo Tribunal Criminal de Paris. "Justiça para todos", escreve o Libération em sua chamada de capa. Considerado culpado por corrupção e tráfico de influência em julgamento de primeira instância, o ex-presidente foi condenado nesta segunda-feira (1°) a três anos de prisão, sendo um em regime fechado. "Mesmo que Sarkozy recorra [da decisão], esse revés pode complicar seu retorno político", explica o diário.

Publicidade

A reportagem segue com as reações da classe política. Enquanto a oposição permanceu reservada, de acordo com o Libération, vários nomes da direita saíram em defesa do ex-presidente. "Apoio incondicional a Nicolas Sarkozy. A severidade da pena é desproporcional e revela uma reação exagerada de uma instituição já contestada", declarou Christian Jacob, líder dos Republicanos, partido do ex-presidente. 

Para o diretor do Instituto francês de Opinião Pública, Ifop, a condenação de Sarkozy não muda nada: "os eleitores de direita participam de uma lógica de fãs. Nós podemos até antecipar uma alta de sua populariedade por causa da injustiça que seria feita contra ele", analisa Frédéric Dabi.

Porém, mesmo que seja provisória, "essa condenação pode ser uma ducha de água fria nas esperanças daqueles que continuavam a sonhar, apesar do fiasco de 2015, com uma terceira candidatura de Sarkozy à presidência, em 2022", escreve o Libération.

Mais grave por ser ex-presidente

O assunto também é destaque na capa do jornal Le Figaro: "Sarkozy condenado, o etupor e a polêmica", diz a manchete do diário conservador. Citando a advogada de defesa de Sarkozy, Jacqueline Laffont, o texto questiona "a fragilidade das provas no caso das escutas telefônicas".

A reportagem também explica que, na visão dos magistrados, os fatos pelos quais Nicolas Sarkozy foi considerado culpado são "particularmente graves por terem sido cometidos por um ex-presidente da República, que tem o papel de garantir a independência da Justiça". 

O jornal Le Parisien traz na capa uma foto de Sarkozy e a legenda: "um golpe duro". A reportagem explica que o ex-presidente foi acusado de tentar obter informações confidenciais de um magistrado em troca de favores.

"O combate ainda não terminou", declararam partidários de Sarkozy ao Parisien. "Ele aceitou tudo com sangue frio e distância", revelou outra fonte à direita.

O diário observa que Nicolas Sarkozy é o segundo presidente da Quinta República condenado, após Jacques Chirac, em 2011, no caso dos empregos fictícios na prefeitura de Paris, mas ele ê o primeiro com condenação ao regime fechado. O diário ainda lembra que, dentro de duas semanas, Sarkozy deverá comparecer à outra audiência, em que responde sobre a acusação de financiamento ilegal de campanha política.   

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.