Covid: há quase três meses em lockdown, Alemanha terá flexibilização progressiva em março

Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel anunciou na noite de quarta-feira um relaxamento progressivo do dispositivo contra a Covid-19 adotado pelo país no final do ano passado.
Na Alemanha, a chanceler Angela Merkel anunciou na noite de quarta-feira um relaxamento progressivo do dispositivo contra a Covid-19 adotado pelo país no final do ano passado. AP - Michael Probst

Diante da pressão popular, a chanceler alemã, Angela Merkel, aceitou aliviar o dispositivo anti-Covid no país a partir de março. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (3) após uma reunião de nove horas com líderes regionais.

Publicidade

De acordo uma recente pesquisa, as medidas parciais de lockdown, implantadas no ano passado, atualmente têm o apoio de apenas um terço da população, contra dois terços no início de janeiro.

A maioria das restrições será prolongada até o dia 28 de março para conter a alta de casos e a propagação da cepa britânica, que representa 46% das infecções. As livrarias, floriculturas e auto-escolas poderão reabrir em todo o país, como já é o caso em algumas regiões, com regras rígidas de higiene. As reuniões particulares, entretanto, só serão permitidas a partir de 8 de março entre membros de apenas dois lares diferentes, e poderão ter, no máximo, a participação de cinco pessoas.

A taxa de incidência tolerada pelo governo alemão para flexibilizar ainda mais restrições, atualmente de 64 casos por 100.000 habitantes, deve baixar para 50 contaminações. Esse número indica que a epidemia está relativamente sob controle e possibilitará uma possível reabertura da parte externa nos restaurantes, assim como zoológicos, museus, galerias e instalações esportivas.

O governo já alertou, entretanto, que medidas severas voltarão a entrar em vigor se a taxa voltar a subir. A título de comparação, o índice de incidência na França, até esta quarta-feira (3), era de 221,1 casos por 100.000 habitantes. Em Paris, ele chega a 328 infecções.

O número total de casos na Alemanha é de 2.741.942 pessoas e 11.912 infecções foram registradas nesta quarta-feira, segundo dados divulgados pelo Instituto Robert Koch. De acordo com os números, foram registradas 359 mortes – 71.240 desde o início da epidemia.

Vacina da AstraZeneca será usada em maiores de 65 anos

Depois de anunciar que reservaria a vacina da Astra Zeneca para pacientes com menos de 65 anos, a Alemanha, a exemplo da França, voltou atrás e vai autorizar o o imunizante contra a Covid-19 para pessoas mais velhas.O anúncio foi feito pela chanceler alemã em uma coletiva desta quarta-feira, após uma reunião com representantes regionais sobre a estratégia nacional anti-Covid.

Segundo Merkel, "estudos recentes forneceram elementos" que permitem aumentar a idade máxima para o uso do imunizante. As pesquisas são principalmente britânicas. Com a decisão, Berlim espera acelear sua campanha nacional de vacinação, criticada pela sua lentidão. Até agora, cerca de 2,5 milhões de pessoas foram vacinadas no país.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.