Covid-19: França tem fim de semana de "vacinação em massa" e lockdown regional

Enfermeira prepara dose da vacina Pfizer-BioNTech contra a  Covid-19.
Enfermeira prepara dose da vacina Pfizer-BioNTech contra a Covid-19. REUTERS - BENOIT TESSIER

Mais de 500 voluntários participam de um grande mutirão de vacinação neste fim de semana (6-7) para acelerar a campanha de imunização contra a Covid-19 na região parisiense. Enquanto no norte da França, o departamento de Pas-de-Calais está em lockdown, como já acontece em Nice e Dunquerque.    

Publicidade

Os dados nacionais da pandemia mostram situações muito diferentes de uma região para outra da França. Diante da forte propagação da variante britânica do vírus e a ocupação das UTIs ultrapassando 100%, os moradores de Pas-de Calais estão confinados desde às 6 horas da manhã. Para mais de dois milhões de pessoas, isso significa a necessidade de um certificado para qualquer saída de casa, no limite máximo de 5 quilômetros e apenas uma hora ao ar livre para tomar ar.

O fechamento do comércio é uma dificuldade adicional para as empresas do departamento que, como em todos os outros lugares, tentavam recuperar aos sábados as vendas que não conseguiam realizar durante a semana, por causa do toque de recolher às 18h. Lojas consideradas não essenciais com 5.000 m² ou mais de área útil foram fechadas por decreto das administrações municipais. “Quatro sábados é realmente um grande golpe”, explicou Sarah Pruvost, dona de uma loja de tecidos em Arras.

Na capital Paris e outros 22 departamentos sob vigilância reforçada, lojas com mais de 10.000 m² também foram obrigadas a fechar para diminuir as aglomerações.

Expectativa é vacinar 50.000 até domingo

A liberação de um estoque de 56.000 doses adicionais das vacinas Pfizer/BioNTech e AstraZeneca para a região parisiense permitiu esse reforço na vacinação, principalmente de idosos e pessoas com comorbidades. "105 centros estão abertos este fim-de-semana em Île-de-France", além da abertura de "13 centros adicionais", afirmou Didier Lallement, responsável pela segurança pública na capital, destacando "um esforço excepcional em toda a região".

Paris e sua região metropolitana estão entre as áreas onde o vírus circula mais ativamente.  “Esta operação, montada em caráter de emergência, faz parte da resposta” ao combate à pandemia, completou Lallement, que espera que “mais 50 mil pessoas” sejam vacinadas até a noite de domingo.

O primeiro-ministro Jean Castex, que visitou um centro de vacinação neste sábado, lembra que as próximas semanas serão "muito sensíveis” e por isso o governo vai focar esforços na campanha.

Sem indicar uma data para a reabertura de bares e restaurantes, Castex prevê “ações simbólicas” de apoio ao setor, como a valorização da gastronomia, no segundo semestre de 2021.

(Com informações da AFP).      

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.