França e Alemanha suspendem temporariamente vacina da AstraZeneca

A vacina AstraZeneca foi suspensa em vários países devido à suspeita de coágulos sanguíneos.
A vacina AstraZeneca foi suspensa em vários países devido à suspeita de coágulos sanguíneos. REUTERS - BENOIT TESSIER

O presidente francês Emmanuel Macron anunciou nesta segunda-feira (15) que a França decidiu suspender o uso da vacina AstraZeneca pelo menos até esta terça-feira à tarde, imitando vários outros países europeus que tomaram medidas semelhantes devido a potenciais efeitos adversos graves do imunizante britânico. Uma dezena de países, incluindo a Alemanha, também suspenderam o uso da vacina AstraZeneca como precaução, após o relato de "possíveis" efeitos colaterais, mas ainda sem uma ligação comprovada cientificamente até agora.

Publicidade

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) deve emitir um parecer nesta terça-feira (16) sobre a continuidade do uso da vacina britânica no bloco.

"A decisão que foi tomada é suspender a vacinação com a AstraZeneca por precaução, esperando retomá-la em breve se a EMA der luz verde", disse Emmanuel Macron em entrevista coletiva com o chefe do governo espanhol, Pedro Sanchez, em Montauban no sudoeste da França.

O grupo farmacêutico anglo-sueco diz que "não há evidência de um risco aumentado" de coágulo sanguíneo causado por sua vacina, enquanto a Organização Mundial da Saúde (OMS) acredita que não há "razão para não usar essa vacina".

Suspensão após coágulos sanguíneos

A Dinamarca foi o primeiro país em 11 de março a suspender a vacina AstraZeneca "após relatos de casos graves de coágulos sanguíneos" em pessoas vacinadas, sendo rapidamente seguida pela Islândia.

A Noruega também suspendeu as injeções dessa vacina no mesmo dia, por precaução. Vários casos de coágulos sanguíneos em adultos vacinados foram relatados lá, mas novamente sem qualquer ligação oficial ter sido comprovada ainda.

Além disso, as autoridades de saúde norueguesas expressaram preocupação no sábado sobre os casos de sangramento de pele em pessoas relativamente jovens que receberam uma dose da vacina AstraZeneca.

Pessoas relativamente jovens com efeitos colaterais da Astrazeneca na Noruega

A Noruega anunciou também nesta segunda-feira a morte por hemorragia cerebral de um cuidador com menos de 50 anos que havia sido hospitalizado após receber uma injeção da vacina anticovid da AstraZeneca, sem que uma ligação entre os dois pudesse ser cientificamente estabelecida até agora.

Este é o segundo caso semelhante fatal relatado em poucos dias no país nórdico que na quinta-feira suspendeu "por precaução" a vacina desenvolvida pelo laboratório anglo-sueco.

No sábado, as autoridades de saúde norueguesas relataram a hospitalização de três profissionais de saúde sofrendo de trombocitopenia (quantidade anormalmente baixa de plaquetas sanguíneas), sangramento e coágulos sanguíneos.

Apresentados como relativamente jovens, todos haviam recebido anteriormente a primeira injeção da vacina AstraZeneca.

Na esteira dos países nórdicos

A Bulgária anunciou na sexta-feira (12) a suspensão "por precaução" das injeções, um dia após as decisões tomadas pelos três países nórdicos, enquanto uma investigação continua em andamento após a morte de uma mulher vacinada.

No entanto, segundo o ministro da Saúde, "não foi estabelecida nenhuma ligação" nesta fase com a vacinação ocorrida na véspera desta mulher, que apresentava excesso de peso e tinha passado por várias operações de revascularização do miocárdio.

No domingo (14), Irlanda e Holanda também suspenderam o uso da vacina, mais uma vez por precaução, após casos de coágulos sanguíneos registrados na Dinamarca e na Noruega. Nesta segunda-feira, a Alemanha por sua vez anunciou a suspensão da vacinação com a AstraZeneca "como medida preventiva", citando também casos de coágulos sanguíneos relatados na Europa.

Na França, os bombeiros de Bouches-du-Rhône (sul) disseram também nesta segunda-feira que suspenderam a vacinação de seus funcionários com a vacina AstraZeneca, "como medida de precaução", após a internação de um bombeiro por arritmia cardíaca ocorrida após seu primeira injeção.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.