Seis testam positivo à Covid-19 após show com 5 mil pessoas de máscara em Barcelona

Os cinco mil participantes do experimento não precisaram respeitar o distanciamento físico, mas utilizaram máscara FFP2 durante toda a duração do espetáculo.
Os cinco mil participantes do experimento não precisaram respeitar o distanciamento físico, mas utilizaram máscara FFP2 durante toda a duração do espetáculo. AP - Emilio Morenatti

Quase nenhum sinal de contágio: esse é o resultado do show realizado com 5 mil participantes, no último 27 de março, em Barcelona, como parte de um teste clínico para verificar a segurança de eventos durante a pandemia de Covid-19. Os organizadores anunciaram o resultado do experimento nesta terça-feira (27).

Publicidade

A experiência suscita um pouco de esperança para o mundo da cultura. Duas semanas depois do "show-teste" do grupo Love of Lesbian, apenas seis entre os cinco mil participantes testaram positivo à Covid-19, mas não desenvolveram sintomas.

Os resultados da experiência foram detalhados pelo médico Josep Maria Llibre, do hospital Germans Trias i Pujol de Badalona, durante uma coletiva de imprensa. "Com ventilação otimizada, triagem de antígenos e uso de máscara, pode-se garantir um espaço seguro", disse o médico.

Os espectadores não precisaram respeitar o distanciamento físico, mas utilizaram máscara PFF2 durante toda a duração do espetáculo. Antes do show, os cinco mil participantes foram submetidos a um teste de antígeno

Quinze dias depois, entre todos os espectadores, apenas seis casos positivos e assintomáticos foram oficialmente detectados. No entanto, os organizadores afirmam ter certeza que eles não foram contaminados durante o evento. "As medidas que colocamos em prática são seguras", justifica o infectologista Boris Revollo. 

Por outro lado, os responsáveis pelo experimento não sabem indicar exatamente quantas pessoas realizaram um teste nas duas semanas seguintes ao evento além dos que tiveram suspeita de contaminação, por terem tido contato com outros indivíduos infectados, ou que desenvolveram sintomas. Ou seja, existe a possibilidade de que outros espectadores tenham sido contaminados e sejam assintomáticos. 

Organização de eventos com segurança

Contatado pela AFP, Revollo confirma a dificuldade de confirmar com exatidão a quantidade de pessoas contaminadas após os evento. "Podemos afirmar que não houve uma imensa transmissão durante o show. Isso mostra que podemos organizar eventos seguros para evitar a propagação do coronavírus", defende.

Segundo ele, o público apenas consentiu que um eventual resultado positivo, registrado duas semanas após o show, fosse notificado pelas autoridades sanitárias aos organizadores do experimento. 

Realizado por promotores musicais, organizadores de festivais de música e o hospital Germans Trias i Pujol, o objetivo era mostrar que a realização de eventos é possível, apesar da pandemia.

"Acredito que, mais uma vez, Barcelona e a cultura barcelonesa estão na vanguarda de uma situação que é nova, que consiste em preservar a atividade cultural com todas as garantias de saúde", celebrou Jaume Collboni, vice-prefeito da cidade.

"O mundo olha para nós, muitas pessoas nos perguntam como fizemos. O trabalho colaborativo foi a chave", disse Angels Ponsa, secretária de Cultura do governo catalão. 

No último mês de dezembro, também em Barcelona, a mesma equipe de pesquisadores acompanhou um show com a presença de 500 pessoas, sem respeitar o distanciamento social, mas usando máscara. Na época, os participantes foram submetidos a um teste PCR oito dias depois, sem que nenhum caso positivo fosse registrado. 

Essa foi uma das poucas iniciativas do tipo organizadas na Europa. Outro espetáculo similar aconteceu em março na Holanda, com 1.300 pessoas.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.