Polícia italiana prende responsáveis por teleférico que caiu no Piemonte

Queda de cabine do teleférico causou comoção na Itália
Queda de cabine do teleférico causou comoção na Itália AP - Antonio Calanni

Três responsáveis pela empresa que gerencia o teleférico que caiu na cidade de Verbania, no norte da Itália, no último domingo (23), deixando 14 mortos, foram detidos nesta quarta-feira (26). De acordo com um porta-voz da polícia italiana, eles são acusados de terem desativado "voluntariamente o freio de emergência".

Publicidade

Os presos são Luigi Nerini, dirigente da empresa "Ferrovie del Mottarone", Gabrielle Tadini, diretor do equipamento, e Enrico Perocchio, chefe operacional do teleférico. Construída em 1970, a atração turística liga, em 20 minutos, o vilarejo de Stresa ao monte Mottarone, com vista para o Lago Maior, entre Suíça e Itália, um dos destinos mais apreciados pelos turistas italianos e estrangeiros na região.   

De acordo com as primeiras informações do inquérito, o teleférico apresentava um defeito, mas o conserto não foi realizado pela equipe de manutenção, pelo menos em parte. Para que o equipamento pudesse continuar funcionando, a empresa "improvisou" e ativou uma peça do mecanismo que bloqueava o freio de emergência, explicou à rádio Radiotre Alberto Cicognani, tenente-coronel dos Carabinieri, a polícia italiana.

Segundo ele, os três acusados reconheceram que o freio de emergência não foi ativado. A procuradora da cidade vizinha, Verbania, Olimpia Bossi, informou que eles sabiam que a cabine do teleférico circulava sem o freio desde o dia 26 de abril, quando a atração votlou a funcionar. A prisão dos três responsáveis ocorreu depois dos interrogatórios na delegacia de Stresa e da análise dos restos do equipamento encontrados no local.

Consertos não resolveram problema

Para os investigadores, trata-se de um ato "feito de forma consciente para evitar interrupções no funcionamento do teleférico, que apresentava defeitos que requeriam uma intervenção mais radical".

Segundo a procuradora, intervenções técnicas foram realizadas no dia 3 de maio, mas elas não resolveram o problema. "A decisão de bloquear o freio de emergência foi tomada com a convicção de que o cabo não se romperia, correndo um risco que resultou no acidente fatal", declarou.

A queda de uma cabine causou a morte de 14 pessoas, incluindo um menino de 9 anos, causou comoção nacional. O presidente italiano, Sergio Mattarella, e o premiê Mario Draghi expressaram "profunda dor". A cabine despencou 15 metros e rodou por parte da ladeira, antes de colidir com uma árvore. O popular teleférico turístico permaneceu fechado entre 2014 e 2016 para obras de manutenção. 

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.