Presidente da Comissão Europeia promete ajustes fiscais, proteção às mulheres e vacinas a países pobres

Presidente da União Europeia promete ajustes fiscais, mais vacinas aos países pobres e melhor proteção às mulheres.
Presidente da União Europeia promete ajustes fiscais, mais vacinas aos países pobres e melhor proteção às mulheres. YVES HERMAN POOL/AFP

Em longo discurso anual sobre o estado da União Europeia, a presidente da Comissão, Ursula Von der Leyen, fez uma série de anúncios na sede do Parlamento Europeu, em Estrasburgo, no leste da França, nesta quarta-feira (15). As finanças do bloco pós-pandemia, política externa e medidas de proteção às mulheres marcaram o pronunciamento.

Publicidade

A União Europeia "não repetirá o erro" cometido após a última crise financeira, quando um rápido retorno à austeridade fiscal fez com que o continente entrasse em recessão, prometeu a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

O Executivo europeu lançará uma revisão das regras fiscais do bloco nas próximas semanas. Atualmente, o Pacto de Estabilidade e Crescimento limita o déficit público dos 27 países membros a 3% do PIB e sua dívida pública a 60%, regras que foram suspensas com os gastos urgentes gerados pela pandemia. Alguns países defendem uma revisão desses tetos para financiar investimentos de combate às mudanças climáticas.

Ursula Von der Leyen anunciou que o bloco fará uma cúpula de defesa durante a presidência francesa da UE no primeiro semestre de 2022, já que a retirada das tropas ocidentais do Afeganistão reacendeu o debate sobre a autonomia dos europeus. “É chegado o momento de a Europa acelerar” para “se defender contra os ataques cibernéticos, e agir onde a OTAN e a ONU não estão presentes. O bloco dará mais € 100 milhões de ajuda humanitária ao Afeganistão para evitar "uma catástrofe humanitária", disse a presidente da Comissão.

Mais vacinas para os pobres

Para combater a pandemia, os europeus destinarão 200 milhões de doses adicionais de vacinas aos países pobres até meados de 2022, além das 250 milhões de doses já prometidas. “É um investimento solidário e um investimento na saúde global", declarou Ursula Von der Leyen. "Com menos de 1% das doses globais administradas em países de baixa renda, a magnitude da injustiça e o nível de urgência é óbvio", completou.

A presidente da Comissão elogiou o esforço do bloco europeu, que já conseguiu vacinar plenamente 70% de sua população adulta. Von der Leyen afirmou que a Europa fez mais que qualquer outra região do mundo para levar doses da vacina para outros países. Também destacou que metade das 1,4 bilhão de doses produzidas em seu território foram exportadas para outros destinos.

A Comissão Europeia vai propor até o final do ano uma lei para lutar contra a violência às mulheres, anunciou von der Leyen. “Muitas mulheres viveram sob o medo durante a pandemia”, disse. “É preciso adotar processos criminais eficazes, além de medidas de prevenção e proteção”, pela internet e na vida real, esclareceu a presidente diante do Parlamento europeu.

(com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.