Acessar o conteúdo principal
França/coronavírus

França se prepara para "nível 3" da epidemia de coronavírus

Médicos usam máscaras no atendimento a pacientes na França
Médicos usam máscaras no atendimento a pacientes na França Loic VENANCE / AFP
Texto por: RFI
3 min

A imprensa francesa desta quinta-feira (5) continua destacando o avanço do coronavírus na França. Com mais de 285 casos confirmados no país, as autoridades se preparam para o chamado "nível 3" do plano de gestão da epidemia, explica o ministro da Saúde, Olivier Véran.

Publicidade

Questionada pelo jornal Le Figaro se a França poderia limitar a propagação antes que a doença atinja esse nível de alastramento, a porta-voz do governo, Sibeth Ndiaye, declarou que, infelizmente, isso seria pouco provável.

A passagem para o nível 3 significa que a doença está "instalada" no território, se transmite localmente, e os casos menos graves nao exigem necessariamente hospitalização, como hoje. A prioridade passa a ser liberar leitos para atender casos mais graves e evitar as mortes provocadas pelo Covid-19, que atingem principalmente pessoas idosas, com doenças cardíacas, diabéticas ou outras patologias crônicas que expoem os pacientes a riscos.

Na Itália, as medidas para evitar mais contaminações, lembra o Le Figaro, são radicais: o país, com mais de 3 mil casos e 107 mortes decidiu fechar, todas as escolas e universidades até metade de março. Na França, cerca de 120 estabelecimentos estão fechados, principalmente onde há focos ativos da epidemia: na região de Oise, a 60 quilômetros de Paris, Haute-Savoie e Morbihan.

De acordo com o Le Figaro, para antecipar problemas de organização, a França não descarta essa hipótese num futuro próximo e o Ministério da Saúde e a Seguridade Social anunciaram que os pais com filhos menores de 16 anos que não podem trabalhar em casa poderão beneficiar de licenças-saúdes remuneradas.

Os preços de máscaras e do álcool gel também serão controlados pelo governo. Eventos que reúnam mais de 5.000 pessoas também continuam cancelados e as Forças Armadas já estão de prontidão em caso de necessidade.

A companhia Air France também liberou, excepcionalmente e sem taxas, o cancelamento de todos os voos previstos entre 3 de março e 31 de maio.

Padre contaminado pega metrô

O Le Figaro também conta a história do padre Alexandre Comte, 43 anos, que pegou a doença e, depois de passar três dias no hospital, voltou para casa, onde está isolado, de metrô, na última segunda-feira.

Ele conta que provavelmente pegou a doença quando parou em um posto na estrada, perto de Milão, em uma área bastante atingida pela epidemia. Ele teve apenas dois dias de febre, não se sentiu mal, mas fez o teste por precaução. Em boa parte dos casos, a doença provoca poucos sintomas, o que dificulta seu diagnóstico sem teste.

O Les Echos lembra que, no nível 3 da doença, as pessoas terão uma vida mais normal do que agora, porque o confinamento para qualquer suspeita da doença passa a ser inútil. O que não impede que medidas sejam adaptadas em função da evolução da epidemia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.