Empresa francesa cria teste que indica contaminação por coronavírus em 15 minutos

O presidente e co-fundador da empresa francesa NG Biotech, Milovan Stankov Pugès, explica como é utilizado o teste que analisa os anticorpos que o organismo desenvolve contra a Covid-19.
O presidente e co-fundador da empresa francesa NG Biotech, Milovan Stankov Pugès, explica como é utilizado o teste que analisa os anticorpos que o organismo desenvolve contra a Covid-19. © Reprodução/YouTube/ France 3

Uma start-up francesa desenvolveu um teste ultrarrápido que confirma, em apenas 15 minutos, se a pessoa foi contaminada pelo coronavírus. O mecanismo é único no mundo e analisa os anticorpos em uma pequena mostra de sangue do paciente.

Publicidade

O teste foi desenvolvido pela empresa NG Biotech, especializada em análises biológicas, baseada em Guipry-Messac, no noroeste da França. Um aparelho, similar ao medidor de glicose utilizada pelos diabéticos, integra um mecanismo para fazer um pequeno orifício na ponta do dedo e coletar o sangue.

Segundo o presidente e co-fundador da NG Biotech, Milovan Stankov Pugès, a utilização é simples e rápida. Apertando um botão, uma pequena gota de sangue é coletada e analisada. Quinze minutos depois, o mecanismo avisa se a pessoa desenvolveu anticorpos, mesmo se ela não ficou doente. Afinal, cerca de 80% dos contaminados são assintomáticos e não sabem que foram contaminados pela Covid-19.

Criados em meio à emergência do coronavírus, os testes foram avaliados nesses últimos dias por diversos hospitais da região parisiense, mas, por enquanto, não estão sendo comercializados. Thierry Naas, do serviço de Bacteriologia do hospital Bicêtre, no sul da capital francesa, participou das avaliações. Segundo ele, 250 amostras de sangue de pacientes foram analisadas.

"A quantidade de anticorpos é suficiente a partir de 5 dias de contaminação. A partir do 10° dia, a eficácia é de 70% e a partir do 15° dia é de 98%", afirmou, em entrevista ao canal de TV France 3. Segundo ele, o dispositivo deve começar a ser comercializado em breve.

O exame da NG Biotech será primeiramente utilizado por profissionais da área da saúde para saber se desenvolveram imunidade contra a Covid-19. De acordo com Naas, isso vai permitir que médicos, enfermeiros e cuidadores possam trabalhar tranquilamente. "Eles estão na linha de frente e, apesar de todas as proteções e toda a dedicação deles, precisam de serenidade", afirma.

O especialista diz acreditar também que a tecnologia será útil na perspectiva do fim do confinamento para saber quem está imunizado. Para ele, o teste servirá, sobretudo, para identificar anticorpos em pacientes que tiveram contato com a Covid-19 nas últimas semanas, sendo menos útil para os doentes em estado crítico.

6 milhões de testes

Pugès prevê a fabricação de 1,5 milhão de testes nos próximos três meses, uma quantidade que chegará a 6 milhões em seis meses. Uma segunda unidade do laboratório está sendo montada. A empresa, que contava com 15 empregados contratou o dobro de pessoas para trabalhar nos próximos meses. "As primeiras entregas começarão no final de abril", afirma, em entrevista ao canal de TV France 3.

Em um comunicado, a equipe da NG Biotech explicou que os anticorpos podem ser identificados alguns dias após a apresentação dos primeiros sintomas do coronavírus. Já, para as pessoas que tiveram um resultado negativo diagnosticado, a empresa aconselha, em caso de aparição de indícios da doença, refazer o exame entre 24 horas e 72 horas após o primeiro teste.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.