Com aumento de casos de Covid-19, Guiana Francesa não descarta volta de confinamento total

O secretário de Segurança da Guiana Francesa, Marc Del Grande (segundo a direita), decretou toque de recolher na cidade de Kourou, a cidade costeira mais afetada em termos do número de casos de Covid-19 por habitante.
O secretário de Segurança da Guiana Francesa, Marc Del Grande (segundo a direita), decretou toque de recolher na cidade de Kourou, a cidade costeira mais afetada em termos do número de casos de Covid-19 por habitante. AFP - JODY AMIET

O governo francês está em estado de alerta com a aceleração da epidemia de coronavírus na Guiana Francesa. No território, que faz fronteira com o Brasil, o número de infectados quadruplicou em duas semanas e dobrou em sete dias. O toque de recolher foi reforçado em Kourou, no litoral, e o governo pode decretar novamente a quarentena em todo o território.

Publicidade

O gabinete do primeiro-ministro Édourd Philippe informou neste domingo (21) que a possibilidade de colocar de novo em confinamento toda a Guiana francesa será examinada se a aceleração da epidemia se confirmar. Com a exeção de Saint-Georges de l'Oyapock na fronteira com o estado do Amapá, que permanece em quarentena, o território havia iniciado a flexibilização das medidas de isolamento em 11 de maio.  Com o aumento das contaminações, agora são 2.441 casos confirmados em 300 mil habitantes. 

As autoridades locais reforçaram no fim de semana o toque de recolher em Kourou. A cidade, que abriga o centro espacial francês, teve 353 casos confirmados até sábado (20). Durante a semana, a população terá que respeitar o toque de recolher de 19h (ao invés de 21H) até às 5h, e nos finais de semana de 15h de sábado até 5h de segunda-feira. A medida já estava em vigor desde sexta-feira (20) na chamada ilha de Caiena, formada pelas cidades de Caiena (capital), Rémire et Matoury.

Saint-Georges de l'Oyapock

Saint-Georges de l'Oyapock segue sendo a cidade da Guiana com a maior taxa de infecções. A localidade de 4.220 moradores, tem 314 contaminados, o que representa 7,5% da população. Agora, Kourou, que tem quase 26 mil moradores, passou a ser a segunda em número de casos por habitante, com uma taxa de 1,4%.

O prefeito de Kouru, François Ringuet, disse que foi um erro ter estigmatizado os brasileiros que moram na cidade, já que todos os habitantes são atingidos pela Covid-19: nativos, franceses, haitianos e brasileiros.

Neste final de semana, duas pessoas idosas morreram no centro hospitalar de Kourou, vítimas do novo coronavírus. As mortes elevam para sete o total de óbitos pela Covid-19 na Guiana.  Entre os 1.500 doentes, 111 estão hospitalizados, sendo 14 em UTIs. Dois pacientes graves foram transferidos na última quinta-feira (18) de Caiena para a Martinica.

Reforço de medidas sanitárias

A volta do confinamento na Guiana ainda é uma hipótese, mas o governo já anunciou o reforço das medidas sanitárias para tentar frear os contágios. O segundo turno das eleições municipais, previsto para 28 de junho na França, foi suspenso no território. O Executivo também propôs ao Parlamento a prolongação do estado de emergência sanitária na região para além de 11 de julho, data prevista para o fim da medida excepcional no resto do país.

Nesta segunda-feira (22), 17 profissionais de saúde suplementares, que integram a reserva sanitária nacional, desembarcam em Caiena. Outras equipes serão mobilizadas e um hospital de campanha de 20 leitos montado nesta semana. A estratégia de transferir pacientes graves para hospitais dos territórios das Antilhas Francesas para aliviar os serviços de reanimação da Guiana poderá ser estendida para a França continental, informou o gabinete do primeiro-ministro francês.

Enquanto a epidemia avança na Guiana, a França entra hoje em uma nova etapa de relaxamento das restrições relacionadas ao coronavírus, com a reabertura de cinemas, cassinos, ginásios esportivos, colônias de férias e o retorno às aulas dos alunos do 6° ao 9° ano. O país registrou nas últimas 24h, 16 mortes pela Covid-19 e tem agora um total de 29.633 vítimas fatais.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.