Acessar o conteúdo principal

Paris encontra traços de coronavírus em sistema de água; França faz plano para volta da epidemia

Análises no sistema de águas reutilizáveis de Paris apresentaram traços de coronavírus
Análises no sistema de águas reutilizáveis de Paris apresentaram traços de coronavírus REUTERS/Philippe Wojazer
Texto por: Cristiane Capuchinho
3 min

Traços de coronavírus voltaram a ser encontrados no sistema de águas reutilizáveis (não potável) de Paris. Nas análises dos últimos 15 dias, o SARS-CoV-2 apareceu em quantidades que apontam para um ligeiro aumento no número de pessoas contaminadas na capital francesa.

Publicidade

Desde o início da pandemia, a vigilância do sistema de águas e esgoto tem se provado uma maneira efetiva de acompanhar o aumento de casos nas cidades dias antes de que seja detetado um aumento de pacientes com exame positivo para Covid-19.

Nesta quarta-feira (8), o primeiro-ministro francês, Jean Castex, afirmou que o governo tem em um plano para enfrentar uma eventual segunda onda de casos no país. De acordo com Castex, se isso for necessário, a França deverá adotar uma quarentena localizada onde houver casos.

“Um confinamento absoluto tem consequências terríveis, tanto humanas quanto econômicas, deveremos adotar uma quarentena localizada”, disse o primeiro-ministro em entrevista à BFMTV.

Níveis mínimos em Paris

A vigilância do sistema de águas de grandes cidades é uma maneira de acompanhar o aparecimento do vírus na população antes mesmo que as pessoas comecem a sentir sintomas. Isso porque o genoma do coronavírus pode ser encontrado nos dejetos humanos e, assim, no sistema de esgoto e de água reutilizável.

O aumento desses vestígios aparece antes de uma onda epidêmica. "Essa relação temporal direta com a onda epidêmica torna esse indicador uma ferramenta preciosa para prever possíveis surtos, testando a presença do vírus em centenas de milhares de pessoas", afirma a Academia de Medicina francesa.

No caso mais recente de Paris, os resultados de seis das 12 amostras colhidas de 22 a 25 de junho deram positivo para a presença do coronavírus. Outros indicadores, no entanto, não apontam para uma segunda onda de casos, e sim uma “circulação moderada mas estável do vírus”, afirmou Aurélien Rousseau, da agência regional de saúde ao jornal Le Monde.

De acordo com dados oficiais divulgados na terça (7), houve 13 mortes por Covid-19 na França em 24 horas. Por enquanto, a atenção do governo francês ainda está voltada para os casos da Guiana Francesa, que não param de crescer nesse território fronteiriço ao Brasil.

Espanha tem 300.000 isolados

Nos últimos dias, uma alta no número de casos na Espanha levou o país a recolocar em quarentena cerca de 300 mil pessoas na Catalunha e na Galícia.

Na região da cidade de Lérida, a 150 km de Barcelona, cerca de 200 mil espanhóis foram proibidos no sábado de sair de casa e deram início a uma nova quarentena. Dias depois, foi a vez de 14 cidades na região de Lugo, na Galícia, voltarem ao confinamento.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.