França cancela bailes populares e promove fogos de artifício sem público para festa nacional

Fogos de artifício do 14 de julho tradicionalmente atraem milhares de pessoas para os arredores da Torre Eiffel, onde acontece o espetáculo pirotécnico. (Imagem de arquivo 2018)
Fogos de artifício do 14 de julho tradicionalmente atraem milhares de pessoas para os arredores da Torre Eiffel, onde acontece o espetáculo pirotécnico. (Imagem de arquivo 2018) REUTERS/Gonzalo Fuentes

Temendo gerar aglomerações que poderiam contribuir para a propagação da Covid-19, as autoridades francesas preferiram suspender em várias cidades o tradicional espetáculo de fogos de artifício que marca sua festa nacional, celebrada em 14 de julho. Nos raros locais onde foi autorizado, a população teve que admirar o evento a distância. Os bailes populares, que também marcam a data, foram cancelados.

Publicidade

Após uma cerimônia militar restrita pela manhã, bem diferente dos desfiles que atraem milhares de pessoas na avenida Champs-Élysées a cada ano, as comemorações da festa nacional francesa prosseguiram discretamente durante a noite. Nas cidades de Lille, Lyon, Estrasburgo, Bordeaux ou ainda Marselha, os fogos de artifício foram simplesmente cancelados. A prefeitura de Lyon explicou que a decisão foi tomada para “garantir a tranquilidade pública e limitar as aglomerações por causa da situação sanitária”.

Já Paris decidiu manter o ritual dos fogos de artifício, lançados na Torre Eiffel. Mas desta vez, o espetáculo acontece sem público por volta das 23h pelo horário local (18 horas em Brasília). “Um amplo perímetro de segurança foi instalado em volta do monumento para garantir a segurança no momento do espetáculo e para prevenir uma eventual concentração de pessoas nos arredores”, informaram as autoridades da capital em um comunicado. O texto aconselha os parisienses a “acompanhar os fogos de artifício pela televisão”.  

Algumas cidades menores, como Le Mans (oeste), decidiram manter o ritual, mas com um número restrito de pessoas, que deverão respeitar as medidas de distanciamento físico. Já em Nice, no Sul da França, os fogos de artifício foram abolidos desde o atentado que matou 86 pessoas na orla em 2016. Uma cerimônia apenas para os familiares das vítimas foi organizada durante a manhã.

Sem baile dos bombeiros

Outra tradição que teve que se adaptar foi a dos bailes que agitam as cidades nos dias 13 e 14 de julho. A maior parte desses eventos populares, que geralmente acontecem nas casernas de bombeiros, foram cancelados.

Em alguns locais, como Lille (norte), DJs se apresentaram nas ruas, mas instalados na escada de um caminhão de bombeiros na calçada. A iniciativa visa oferecer música para a população, que pode dançar dentro de casa.

Eventos reunindo até 5 mil pessoas estão autorizados no país, mas os bombeiros consideraram difícil respeitar o distanciamento físico necessário para atender às exigências sanitárias ligadas à pandemia.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.