Acessar o conteúdo principal

O mundo inteiro vai ter que se acostumar às ondas de calor, diz cientista

Em Paris, os termômetros ultrapassam os 40°C nesta sexta-feira (31).
Em Paris, os termômetros ultrapassam os 40°C nesta sexta-feira (31). AFP - DOMINIQUE FAGET
Texto por: RFI
2 min

A Europa enfrenta, neste fim de semana, mais uma onda de calor. Desde quinta-feira (30), as temperaturas ultrapassaram os 40 graus em vários países do Velho Continente. Os fortes e súbitos aumentos de temperatura serão cada vez mais frequentes em todo o mundo.

Publicidade

“Vai ser preciso se acostumar”, afirma Robert Vautard, diretor do Instituto Pierre Simon Laplace de Ciências do Clima.

Em entrevista à France Info, o cientista explicou que o fenômeno não é exclusivo à Europa. “Todo o planeta é afetado pelas temperaturas extremas”, indicou o especialista.

Segundo ele, mesmo os polos sofrem com essa situação. “Vimos, há alguns dias, temperaturas extremas na Antártida, de 20 graus”, observa.

Alguns países, no entanto, devem sofrer mais com a situação. “A região do Golfo Pérsico é onde provavelmente as temperaturas serão mais altas no futuro. Esperamos temperaturas acima dos 55°C ou 60°C no final do século nessa área, onde o calor será insuportável”, observa.

Para Vautard, não há dúvidas sobre o motivo para essas ondas de calor. “Temos a demonstração, a certeza matemática que esses picos de temperatura estão relacionados às mudanças climáticas”, ressalta.

Mais de 40°C em Paris

Desde quinta-feira (30), a França enfrenta temperaturas extremas. No total, 32 departamentos estão sob vigilância devido ao calor. Nesta sexta-feira (31), os termômetros ultrapassaram 40°C na região parisiense, Champagne, Bourgogne, no norte da Auvergne e do vale do Rhône.

“Desde 2015, temos na França uma onda de calor excepcional todos os anos. Isso não acontecia antes”, lembra o especialista. “No ano passado, tivemos recordes impressionantes, como 46°C em Nîmes, 43°C na região parisiense”, reiterou.

A Espanha também enfrenta fortes temperaturas, registrando 39°C em Madri e Sevilha e 38°C em Valência. Na região de Bilbao, no País Basco, além do calor, os moradores têm de lidar com o uso obrigatório de máscara, devido ao foco de Covid-19 nesta área.

Na Itália, 14 cidades estão sob alerta devido ao brusco aumento de temperatura. Vários países alertaram as populações que esse será o dia mais quente do ano até o momento. Em Londres, os termômetros chegaram a 35°C, bem como em algumas cidades da Holanda. Em Viena, na Áustria 37°C foram registrados.

No leste da Europa, é principalmente a Bósnia-Herzegovina que enfrenta o calor. Em Mostar, cidade turística no sudeste do país, os termômetros ultrapassaram os 40°C.

A atual onda de calor deve durar até o domingo, quando as temperaturas baixarão. No entanto, no meio da próxima semana, os termômetros devem voltar a subir.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.