Polícia francesa tenta desvendar mistério de cavalos mutilados em várias regiões

Polícia francesa registrou vários casos de cavalos, asnos e pôneis mutilados (imagem de ilustração)
Polícia francesa registrou vários casos de cavalos, asnos e pôneis mutilados (imagem de ilustração) AFP

Vários cavalos foram encontrados mutilados em diferentes cidades da França nos últimos meses. As autoridades tentam encontrar os autores dos crimes e descobrir qual uso tem sido feito dos órgãos dos animais.

Publicidade

A polícia de Lons-le-Saunier, no leste da França, postou nesta terça-feira (18) uma mensagem nas redes sociais em busca de testemunhas que tenham visto algo suspeito após a descoberta de uma égua mutilada. Segundo a imprensa local, o animal teve os olhos arrancados.

Na véspera, outra égua, vítima de morte natural perto de Lyon, foi descoberta pelo proprietário com olho, focinho e orelha, decepados durante a noite. Ainda esta semana, um cavalo puro sangue foi encontrado degolado em Lannion, na região da Bretanha, no oeste do país.   

O que começou como um caso isolado vem se multiplicando em várias regiões francesas e preocupa as autoridades. Ocorrências similares, com mutilações de cavalos, asnos e pôneis também foram registradas recentemente na Vendée e na Normandia (oeste), em Rhône e no Jura (leste), em Puy-de-Dôme (centro) e no sudoeste do país. Segundo a imprensa local, em menos de 10 dias, três ataques seguidos de mutilação foram registrados em um perímetro de apenas 130 quilômetros.

Desafio na internet?

“Será que alguém lançou um desafio na internet ou trata-se de uma pulsão de um indivíduo? Nenhuma pista está sendo descartada”, declarou o comandante Bruno Wallart, que acompanha os casos em Riom, no centro do país.

Uma investigação foi aberta na segunda-feira (17) por “roubo e ocultação de órgãos animais”. Segundo a polícia, a França registrou nas últimas semanas pelo menos quinze casos de “atos de tortura e mutilações de cavalos vivos”.

A Federação francesa de equitação denunciou o que qualificou de “atos bárbaros” e “cruéis” e anunciou nesta quarta-feira (19) que também participará do processo aberto na justiça pelos donos dos animais mortos.

“Estamos determinados a lutar contra toda forma de maus-tratos visando os equinos. Desejamos, em parceria com a Liga francesa de proteção dos cavalos, mobilizar todos os atores do setor equestre”, declarou a entidade, terceira principal federação esportiva da França.  

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.