Maior sucesso de Agatha Christie é rebatizado na França para evitar linguagem racista

Na sua nova edição, o best-seller de Agatha Christie deixou de usar o título com a palavra nègres e adotou "Ils Étaient Dix" (Eram dez)
Na sua nova edição, o best-seller de Agatha Christie deixou de usar o título com a palavra nègres e adotou "Ils Étaient Dix" (Eram dez) © Editions Paquet.

O maior sucesso da escritora inglesa Agatha Christie mudou de título em sua nova edição lançada nesta quarta-feira (26) na França. O antigo "Dix petits nègres" (Dez Negrinhos, em tradução literal) virou "Ils étaient dix" (Eram dez). A decisão tem o aval do bisneto da autora britânica, James Prichard .

Publicidade

“Não devemos continuar a usar palavras que podem machucar: este é o comportamento de 2020”, explicou o bisneto de Agatha Christie em entrevista à RTL. "Minha opinião é que Agatha Christie estava, antes de tudo, preocupada em divertir e não teria gostado da ideia de alguém se sentir machucado por uma de suas expressões", completou.

O título em francês vinha do original em inglês, "Ten Little Niggers", publicado em 1939. O nome do romance policial foi alterado no Reino Unido nos anos 1980 por conta das conotações pejorativas ligadas à palavra "nigger", em inglês, e virou "And Then There Were None" (E então, não havia ninguém, em tradução livre).

No Brasil, o livro foi sucesso entre muitas gerações sob o nome de "O caso dos dez negrinhos", mas há mais de dez anos é vendido com o título "E não sobrou nenhum", a partir do novo nome do romance policial em inglês.

Sinais do tempo

Segundo o bisneto, a mudança de título deve ser a regra em novas edições de todo o mundo. "Quando o livro foi escrito, a linguagem era diferente e usavam-se palavras hoje esquecidas", afirmou o administrador do legado de Agatha Christie.

“Hoje, felizmente, podemos remediar sem trair o texto e sermos bem aceitos por todos... Faz sentido para mim: ela não iria querer um título que distraísse do seu trabalho", defendeu o bisneto. "Não devemos continuar usando palavras que podem machucar: esse é o comportamento a adotar em 2020", acrescentou em entrevista à rádio francesa.

A mudança de linguagem não aconteceu apenas no título. Na nova versão do livro em francês, a palavra "nègre" aparecia 74 vezes e foi adaptada em todos os casos.

O romance policial que conta a história de dez pessoas que vão passar um final de semana em uma ilha vendeu mais de 100 milhões de cópias em todo o mundo, e é uma das obras literárias mais populares da história.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.