Planta da cannabis é usada para fabricar máscaras biodegradáveis na França

Campo de cannabis no Líbano. Na França, a planta é utilizada para a fabricação de máscaras anti-Covid-19.
Campo de cannabis no Líbano. Na França, a planta é utilizada para a fabricação de máscaras anti-Covid-19. AFP/File

Ele é colocado na boca, mas não para ser fumado: uma empresa de Yonne, no centro da França, desenvolveu uma máscara certificada anti-Covid-19 feita de cânhamo, um composto da cannabis, e biocompostável.

Publicidade

“Pelas suas características, o cânhamo possui propriedades que dispensam a adição de outros produtos, como cola ou aglutinante. A filtração e a respirabilidade são feitas sem a adição de nenhum produto” , explica à AFP Stephanie Gauvenet, diretora da fábrica Géochanvre, em Lézinnes.

A start-up francesa, especializada em desenvolvimento sustentável e feltro vegetal, desenvolveu há meses a ideia de compor uma máscara de cânhamo, uma planta cujas flores dão cannabis. Suas fibras são amplamente utilizadas em roupas e feltros.

A máscara biodegradável foi validada pela Direção-Geral das Forças Armadas, que indica um desempenho de filtragem de 89%. Mais de 1,4 milhão de unidades já foram vendidas, a partir de € 0,65 cada.

O uso de máscara é obrigatório em várias regiões da França, em todos os espaços abertos e fechados para pessoas a partir de 11 anos de idade. As únicas exceções, em Paris, são para quem vai correr ou andar de bicicleta.

“Fabricamos 5.000 por dia”, indica Gérald Bayette, diretor comercial da Géochanvre. “Somos a única máscara biodegradável hoje na França e na Europa. Temos clientes belgas, suíços e italianos”, completa.

(Com informações da AFP)

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.