“Não sabíamos se morreríamos de fome, sede, Covid ou falta de higiene”, diz passageira bloqueada em trem na França

Trens de alta velocidade estacionados. No domingo, milhares de passageiros ficaram presos durante horas após uma pane do sistema ferroviário na França.
Trens de alta velocidade estacionados. No domingo, milhares de passageiros ficaram presos durante horas após uma pane do sistema ferroviário na França. REUTERS/Charles Platiau

Milhares de passageiros ficaram bloqueados durante horas após uma pane na noite de domingo (30) que parou a rede de trens de alta velocidade na região sudoeste da França. Em postagens em redes sociais, os passageiros descreveram uma noite de caos, sem comida nem água e temendo uma infecção por Covid-19.

Publicidade

Uma dezena de trens de alta velocidade (TGV na siga em francês) que ligava cidades da região sudoeste da França à Paris ficou bloqueada entre as cidades de Dax e Bordeaux. Centenas de passageiros chegaram a ficar até 20 horas retidos e foram encaminhados na manhã desta segunda-feira (31) em ônibus para Paris.

Segundo Jérôme Attou, diretor da Sociedade nacional de caminhos de ferro francesa (SNCF) em uma coletiva com a imprensa em Bordeaux, nesta segunda-feira (31), uma “sequência de eventos causou a interrupção da circulação” e gerou uma perturbação na rede ferroviária da região. Ele informou que uma investigação para identificar a origem da pane está em curso.

O incidente mobilizou mais de 200 agentes e a circulação de trens na região deve voltar ao normal na terça-feira. O ministro dos Transportes francês, Jean Baptiste Djebbari disse nesta segunda-feira que “os trilhos poderão ser reabertos, mas as obras serão importantes, 60 quilômetros foram danificados”.

Foco de Covid-19

Nas redes sociais, os passageiros revoltados temiam uma contaminação pela Covid-19. “Nós estamos em um trem que saiu de Biarritz as 12h23 e são 3h da manhã. 1.100 passageiros a bordo: poderíamos ter máscaras para não acrescentar aos recordes desse trajeto o de maior foco?”, escreveu no Twitter uma das passageiras.

“1h15 da manhã. Ainda no trem preso em plena via. Hora da partida de Biarritz 15h55. Eu vou passar toda a noite com minha mulher e meu filho de 2 anos sem distribuição de água e comida. Veja onde dorme meu filho em plena (epidemia de) Covid”, publicou outro passageiro com a foto de uma criança deitada no chão do vagão.

Os passageiros também reclamaram da falta de informações por parte dos empregados e da falta de higiene nos trens.

“Foi um inferno: sem papel higiênico, sem comida, somente uma garrafinha de água, fazia calor com as máscaras, eles nos retiveram a bordo, enquanto poderiam ter nos deixado sair”, diz Marjolaine, passageira de um dos trens que saiu da cidade de Bayonne no domingo, à tevê FranceInfo. “Não sabíamos se íamos morrer de fome, de sede, de Covid ou por falta de higiene”, diz.

Segundo a direção Nacional da SNCF, foram distribuídas máscaras, cobertores, garrafas de água e refeições e que os passageiros serão indenizados.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.