Acessar o conteúdo principal

Covid-19: França reforça medidas locais diante de explosão de casos

Bordeaux e Marselha estão entre os territórios, juntamente com Guadalupe, que enfrentam uma "tendência preocupante de contaminação, particularmente entre os idosos", disse o Primeiro Ministro Jean Castex. Foto ilustrativa
Bordeaux e Marselha estão entre os territórios, juntamente com Guadalupe, que enfrentam uma "tendência preocupante de contaminação, particularmente entre os idosos", disse o Primeiro Ministro Jean Castex. Foto ilustrativa AP - Daniel Cole
Texto por: RFI
4 min

As autoridades de Gironde e Bouches-du-Rhône, no sudoeste e sudeste da França, anunciaram nesta segunda-feira (14) novas medidas para conter a epidemia de coronavírus, que avança rapidamente nas duas regiões. Na sexta-feira (11), primeiro-ministro francês, Jean Castex, já havia declarado que a evolução das contaminações em Bordeaux e Marselha é preocupante, principalmente entre a população mais velha.   

Publicidade

A secretária de Seguraça Pública de Gironde, Fabienne Buccio, anunciou a redução do número máximo de participantes em eventos públicos – que passará de 5.000 para 1.000 pessoas. Além disso, os encontros entre amigos e famílias deve reunir, no máximo, dez convidados. A mesma regra vale para jardins, praias e outros locais de grande concentração de pessoas, anunciaram as autoridades locais. 

Em Bordeaux, nos bares e restaurantes, o consumo no balcão de qualquer tipo de bebida está proibido e o álcool foi banido das ruas. Festas de vizinhança e de venda de antiguidades, conhecidas na França como brocantes, além de outras manifestações também serão canceladas, incluindo a famosa Jornada do Patrimônio, que começaria no dia 16 de setembro. Os passeios organizados pelas escolas fora do horário de aula também estão cancelados. 

A situação é preocupante, mas não alarmante, segundo Yann Bubien, diretor do hospital público de Bordeaux. Existem atualmente 180 leitos nas unidades de terapaia intensiva, mas há espaço para o dobro da capacidade, declarou. Ele observa, por outro lado, um forte aumento das hospitalizações. Mas, em se tratando da Covid-19, tudo pode evoluir rapidamente, como mostrou a primeira onda de contágios.

Em Bouches-du-Rhône, região onde está situada Marselha, as autoridades preferiram adotar outra estratégia. A prefeita da cidade, Michèle Rubirola, acredita que a repressão só funciona "por tempo limitado", e defende que, na luta contra a Covid-19, é preciso pedagogia. "Nas ruas muito frequentadas, no centro das cidades ou centros comerciais, a máscara deve ser obrigatória. Mas em espaços ao ar livre, quando as pessoas estão sozinhas, não existe risco comprovado."

Na segunda maior cidade da França, a proteção facial é obrigatória desde agosto. A prefeita criticou as medidas "demagogas" exigidas pela oposição de direita, que defendeu o fechamento de parques e praias depois das 20h. "Saindo da prefeitura, se vou tomar um banho de mar, sozinha, às 20h, não acho que eu represente um risco de transmissão do vírus", declarou Rubirola, que também é médica.

Para ela, o mais importante é proibir eventos públicos onde a distância física é impossível. Ela explica que a alta das contaminações é resultado das férias e das festas de verão, que ela reconhece que não deveriam ter sido autorizadas.

Universidade de Rennes confirma 43 casos

Pelo menos 43 casos de Covid-19 foram confirmados em estudantes do segundo e terceiro ano de Medicina, Farmácia e Odontologia da universidade de Rennes, na Bretanha, segundo a Agência regional da Saúde francesa e a Secretaria de Segurança Pública da região.

As aulas ficarão suspensas durante 14 dias e os jovens, isolados durante uma semana. Os estudantes foram contaminados em festas de boas vindas aos calouros dos cursos, apesar da proibição decretada pela instituição. A circulação do SARS-Cov-2 acelera na Bretanha e as autoridades também avaliam a necessidade de fechar bares e restaurantes mais cedo.

Aumento em Guadalupe

Já em Guadalupe, cerca de  800 casos positivos foram confirmados em uma semana. As autoridades locais decidiram fechar ginásios, piscinas, hipódromos, salas de exposição e proibir festas, até o dia 29 de setembro. Permanecem abertos apenas salas de espetáculo e cinemas. Bares e restaurantes também fecham as portas às 22h. No sábado, a França atingiu a marca de mais 10.000 contaminações em 24 horas.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.